Anúncios

Calor, frio, muita chuva e temporais. Os gaúchos vão experimentar as diferentes estações e condições do tempo muito distintas de um dia para o outro e entre as diversas regiões do Rio Grande do Sul nos próximos dias, dando prosseguimento ao vem se observando desde a metade desta semana com freqüentes mudanças e, se não bastasse, temperaturas radicalmente diversas no território gaúcho.

A última quarta-feira teve calor de 36ºC no Noroeste gaúcho enquanto no Sul e no Leste do Estado chovia com temperatura amena. Na quinta, ar quente tomou conta do Estado e as máximas chegaram a 37,5ºC com uma das quatro tardes mais quentes já observadas em agosto em Porto Alegre e recorde para o mês em Campo Bom. Ontem, chuva, vento forte e granizo em várias regiões com queda de temperatura ao passo que o Noroeste e o Norte do Rio Grande do Sul seguiram secos e quentes.


Neste sábado, novamente, o tempo variou enormemente dentro do estado gaúcho. No Sul, ar frio. No Norte, ar quente. A temperatura mínima na madrugada foi de 5,7ºC em Santa Vitória do Palmar, no Extremo Sul gaúcho. À tarde, os termômetros indicaram 33,6ºC em Santa Rosa e 32,8ºC em Porto Xavier na mesma hora em que fazia 13ºC em Encruzilhada do Sul, 14ºC em Bagé, 15ºC no Chuí e 16ºC em Porto Alegre.

Porto Alegre na quinta-feira com céu claro e máxima oficial de 34,5°C numa das cinco tardes mais quentes de agosto em 111 anos de observações meteorológicas | Fernando Oliveira

Porto Alegre na sexta-feira de ventania, queda de árvores e temperatura amena | Alina Souza

Porto Alegre neste sábado de temperatura baixa, chuva no começo do dia e tempo fechado | Fernando Oliveira

Neste domingo, mais um capítulo desta sequência de mudanças em que um dia é frio para depois fazer calor e voltar no dia seguinte a fazer frio. A frente semi-estacionária recua e a massa de ar quente volta a avançar de Norte para Sul, cobrindo de novo todo o Rio Grande do Sul. Com isso, cidades que tiveram um sábado de temperatura amena e agradável – como Porto Alegre – vão experimentar um acentuado aquecimento.

A Fronteira Oeste, o Centro do Estado, o Noroeste, o Alto e Médio Uruguai, o Planalto Médio, a Grande Porto Alegre, os vales, a Serra e os Aparados terão uma tarde quente e com fumaça. No Sul gaúcho e na Campanha, as máximas devem se mais altas que as deste sábado, porém não chega a fazer calor como se projeta para as demais regiões gaúchas. No Noroeste, Santa Rosa pode ter 34ºC. Em Porto Alegre, 32ºC a 33ºC com até 34ºC ou mais na região metropolitana.

O sol aparece em quase todo o Rio Grande do Sul neste domingo. Como o vento vira para Norte em cidades que estavam com ar mais ameno neste sábado, fumaça de queimadas vai tomar conta do território gaúcho. No final do dia não se afasta chuva isolada no Oeste e no Sul e entre a noite deste domingo e o começo da segunda pode ter chuva forte com raios e granizo na área do Chuí e de Santa Vitória do Palmar.

Queda de braço entre ar frio e ar quente

O que se tem hoje é uma verdadeira “queda de braço” entre ar frio e ar quente sobre o Rio Grande do Sul. Lembra daquela disputa com os braços de quem consegue virar o do oponente primeiro? Até agora nem o ar frio nem o ar quente ganharam a disputa e isso vai ficar assim por mais alguns dias.

Até a metade da semana o Rio Grande do Sul estará entre uma massa de ar quente ao Norte e uma massa de ar frio ao Sul. Conforme o dia, o ar frio avança um pouco mais para Norte e o ar quente avança um pouco para o Sul.

Nesta segunda, por exemplo, depois de um domingo de sol e calor, Porto Alegre terá queda de temperatura mesmo sem chuva, somente com o vento virando para Sul e com chance de rajadas. Na terça, espera-se uma enorme diferença de temperatura no Estado com ar muito frio mais ao Sul e calor no Norte.

Disputa do ar frio e quente traz chuva e temporais

Como o território gaúcho vai estar na área de transição entre as duas massas de ar com características diferentes, nesta queda de braço entre o ar frio e quente, a instabilidade vai ser favorecida. Chove em parte do Rio Grande do Sul nesta segunda, especialmente mais a Oeste e ao Sul com a chuva podendo alcançar pontos do Centro do Estado depois, mas será de terça em diante que a instabilidade vai predominar.

O período entre terça e quinta será o de tempo mais instável e a chuva alcançará todas as regiões no período. Em algumas regiões, o episódio de chuva trará os mais altos volumes em meses. Acumulados acima de 50 mm são possíveis em diferentes pontos da Metade Norte na próxima semana, apesar que em alguns locais não deve chover mais que 20 mm ou 30 mm.

O Sul e o Leste do Estado, contudo, devem ter os maiores volumes. Haverá pontos com marcas perto de 100 mm e mais isoladamente de até 100 mm a 125 mm.

O mapa acima traz a projeção de chuva para os próximos cinco dias do modelo Icon do serviço meteorológico alemão, disponível ao nosso assinante na seção de mapas do site. É possível observar no mapa como algumas áreas do Leste gaúcho, em particular na área da Lagoa dos Patos, podem ter acumulados expressivos.

Como haverá um enorme gradiente (diferença) de temperatura entre o Sul e o Norte do Rio Grande do Sul até a metade da próxima semana as condições seguem favoráveis ao registro de raios e granizo isolado nas áreas com chuva.

Este risco é maior no Sul, Leste e no Centro do Estado, mas alcança a Metade Norte entre terça e quarta. Neste sábado, por exemplo, teve granizo em cidades como Bagé e Pelotas.

Os dados seguem indicando o ingresso de uma massa de ar frio entre quarta e quinta no Rio Grande do Sul com queda generalizada da temperatura e colocaria fim à queda de braço entre o ar quente e frio.


Por isso, a expectativa é que o tempo firme no final da semana com dias mais amenos e agradáveis, mas que começam frio. O amanhecer da próxima sexta pode ter até geada em pontos do Oeste e do Sul gaúcho.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Anúncios