Anúncios

Imagem aérea de equipes limpando os escombros na fábrica de velas Mayfield Consumer Products depois que ela foi destruída por um tornado na noite de sexta em Mayfield, Kentucky, durante onda de tornados devastadora que trouxe destruição generalizada e múltiplas fatalidades. SCOTT OLSON/GETTY IMAGES/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Funcionários da fábrica de velas destruída por um tornado na noite de sexta-feira em Mayfield, estado norte-americano, foram proibidos de buscar abrigo. A ameaça era de demissões. A informação foi obtida com exclusividade pela rede de televisão norte-americana NBC.

Quando o tornado catastrófico se aproximava da cidade na sexta-feira, os funcionários de uma fábrica de velas, que logo depois seria destruída, ouviram as sirenes de alerta e quiseram deixar o prédio. Ao menos cinco trabalhadores disseram que os supervisores alertaram os funcionários que eles seriam demitidos se deixassem seus turnos mais cedo.


Por horas, enquanto a notícia da tempestade que se aproximava se espalhava, até 15 trabalhadores imploraram aos gerentes que os deixassem se abrigar em suas próprias casas, apenas para terem seus pedidos rejeitados, disseram os trabalhadores à rede NBC. Temendo por sua segurança, alguns saíram durante seus turnos, independentemente das ameaças.

VEJA TAMBÉM 


McKayla Emery, de 21 anos, disse em uma entrevista de seu leito de hospital que os trabalhadores pediram pela primeira vez para sair logo depois que as sirenes de tornado soaram do lado de fora da fábrica por volta das 17h30.

Fábrica de velas antes do tornado | Maxar Technologies

Fábrica de velas depois do tornado | Maxar Technologies

Pelo menos oito pessoas morreram na indústria de Mayfield, que fabrica velas perfumadas. A maioria dos empregados conseguiu se salvar A instalação foi nivelada e tudo o que resta são escombros. Fotos e vídeos das ruínas se tornaram símbolos do enorme poder destrutivo do sistema de tornados de sexta-feira.

“Nossa planta em Mayfield foi destruída em 10 de dezembro de 2021 por um tornado e, tragicamente, trabalhadores morreram e ficaram feridos”, disse o proprietário da companhia, Troy Propes, em mensagem publicada no site da companhia. “Nossa empresa é de propriedade e gestão familiar e amamos nossos funcionários, alguns dos quais estão há muitos anos conosco”, acrescentou.

Detentos da penitenciária local também trabalhavam na fábrica. Os poucos relatos de sobreviventes que vieram à tona descrevem cenas de caos e angústia. Kyanna Parsons-Perez, uma funcionária que estava dentro da fábrica quando o tornado passou, transmitiu alguns desses momentos ao vivo, através do Facebook, para pedir ajuda.

Anúncios