Anúncios

ADRYEL PABST/PREFEITURA DE GARUVA

O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil do Paraná estimam que há ao menos 30 desaparecidos no deslizamento na BR-376, em Guaratuba, no litoral paranaense (veja imagens aéreas do local). O desmoronamento se deu no começo da noite de segunda-feira, arrastando carretas e automóveis quando parte do morro veio abaixo na rodovia.

Duas pessoas foram encontradas mortas e seis resgatadas com vida. Pelo menos seis carretas e dez carros foram arrastados pela lama, mas não se sabe quantas pessoas estavam em cada veículo. Bombeiros estão usando um drone com câmera termal que identifica sobreviventes pelo calor do corpo, mas até o fim da manhã desta quarta nenhum sinal de calor tinha sido detectado.


A BR-376 segue bloqueada no município de Guaratuba por conta do deslizamento de terra enorme que atingiu e soterrou diversos veículos. Imagens aéreas mostram um cenário assustador no local com apenas as rodas dos veículos pesados aparecendo e grande quantidade de terra encobrindo outros veículos.

Foi identificada a primeira vítima da tragédia na BR-376. Trata-se de um profissional de 60 anos que dirigia o caminhão que ficou pendurado no momento do deslizamento. José Maria Pires conduzia a carreta e a família reconheceu pelas primeiras imagens o caminhão com container vermelho.


Uma força-tarefa continua trabalhando no local nos esforços de buscas por vítimas e de desobstrução da via, que continua sem previsão de liberação. Bombeiros tanto de Santa Catarina como do Paraná atuam na ocorrência.

Risco de deslizamento era alertado

O enorme deslizamento de terra que atingiu a BR-376, no município de Guaratuba, perto da divisa com Santa Catarina, ocorreu durante a vigência de alerta de chuva extrema com risco extremo de queda de barreiras e desmoronamento de encostas em consequência das precipitações em índices excepcionais.

O desastre na rodovia que liga os estados de Santa Catarina e do Paraná, portanto, não foi uma tragédia que possa se dizer inesperada. Desde a semana passada a MetSul Meteorologia vinha advertindo que a região poderia receber acumulados de chuva tão extremos como 500 mm a 600 mm com algumas projeções por parte de modelos apontando até marcas de 600 mm a 700 mm em poucos dias.

A área do Nordeste de Santa Catarina de divisa com o Litoral Sul do Paraná e a serra adjacente era justamente a região para o qual os modelos numéricos de computador analisados pela MetSul, e cujos mapas foram reproduzidos em todos os alertas, apontavam os acumulados mais extremos de chuva.

Emergência no Leste do Paraná

O governo do Paraná publicou decreto que declara situação de emergência na região Leste do Paraná, que compreende municípios da Região Metropolitana de Curitiba e do Litoral. O decreto atende à recomendação da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, em razão das chuvas intensas que atingem a região.

A publicação do decreto foi anunciada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, que também determinou a criação de um gabinete de crise para concentrar as informações e o atendimento às vítimas do deslizamento de terra na BR-376, em Guaratuba.

O documento autoriza a mobilização de todos os órgãos estaduais para atuarem nas ações de resposta ao desastre, reabilitação do cenário e reconstrução das áreas atingidas. A homologação da situação de emergência permite o apoio do estado aos municípios atingidos, e caso tenha o reconhecimento federal, as cidades também recebem apoio da União.

Além do envio de equipes e materiais, o decreto também possibilita o envio de recursos para esses locais, o que dá mais celeridade à recuperação das áreas atingidas para que a situação volte à normalidade.

DEFESA CIVIL DO PARANÁ/AEN

Equipes do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, Defesa Civil e da concessionária Arteris Litoral Sul estão mobilizadas desde a noite de segunda-feira para prestar atendimentos no local. As más condições do tempo, porém, dificultam as buscas e a avaliação dos danos. A estimativa é que seis carretas e de 10 a 15 veículos tenham sido soterrados pela lama.

Além da BR-376, as principais rodovias de acesso ao Litoral também estão bloqueadas por causa da queda de barreiras. Há interdições totais na BR-376 e na Estrada da Graciosa e interdição parcial na BR-277. As chuvas intensas também causaram inundações, enxurradas e alagamentos em outros municípios do Litoral e da Região Metropolitana.

Anúncios