Anúncios

Uma poderosa corrente de jato em baixos níveis atmosferas vai atuar no final desta terça e no começo da quarta-feira no interior do continente, afetando o Paraguai, o Norte e o Nordeste da Argentina, o Uruguai e o Rio Grande do Sul. É uma das correntes de jato em baixos níveis (JBN) mais intensas em anos a atuar na região e será responsável por trazer muito calor e ainda fortes a ocasionalmente intensas rajadas de vento do quadrante Norte em algumas cidades.


O jato que atua deste domingo a partir da Bolívia e até o Centro da Argentina com calor, formando tempestades intensas e com estragos em alguns municípios, vai se intensificar muito com o aprofundamento de um centro de baixa pressão no Centro da Argentina e que dará origem a um ciclone bomba.

O aporte de energia do jato contribuirá para um cenário extremamente perigoso de tempo severo entre hoje e amanhã no Centro argentino e no território uruguaio em que não se descarta mesmo a possibilidade de tornados nos dois países.


A corrente de jato em baixos níveis da atmosfera vai se intensificar muito durante a quarta-feira. Os ventos projetados a 1.500 metros de altitude por modelos numéricos chegam a 80 nós ou 150 km/h. Trata-se uma corrente de jato em baixos níveis (JBN) atipicamente intensa, é possível dizer até violenta, muito mais forte do que comumente se costuma observar.

Por influência do aumento da intensidade do jato, o tempo começa a abrir já hoje a partir do Oeste do Rio Grande do Sul e melhora na maioria das regiões nesta quarta com sol e elevação acentuada da temperatura. O corredor de vento em baixos níveis da atmosfera vai trazer uma quantidade enorme de ar quente com marcas muito acima da média desta época do ano.

A temperatura vai disparar nesta quarta com calor de verão em pleno final de abril, quando normalmente os registros nos termômetros já são menores e os dias de forte calor mais escassos. O dia já começará quente com mínimas bastante altas para a época do ano. Vários pontos da Metade Oeste podem ter temperatura entre 25ºC e 27ºC em pleno final de madrugada nesta quarta.

Muitas cidades do Rio Grande do Sul vão ter máximas acima dos 30ºC nesta quarta-feira à tarde. Porto Alegre pode ter 32ºC a 33ºC. Na região metropolitana e nos vales, as máximas podem subir até 35ºC ou 36ºC, talvez até mais isoladamente. São valores muito acima do que é normal para esta época do ano.

A temperatura máxima média história de Porto Alegre em abril é de 26,4ºC (série 1991-2020), logo a temperatura nesta quarta pode ficar ao redor de 10ºC acima do que é normal para a climatologia média histórica desta época do ano. O Sul de Santa Catarina também deve ter intenso calor com máximas muito elevadas nas áreas de Criciúma, Tubarão e Sombrio, dentre outras cidades da região.

Vento Norte deve ser forte a intenso

A MetSul Meteorologia adverte que o vento Norte quente e seco associado à corrente de jato em baixos níveis da atmosfera pode provocar transtornos, especialmente no serviço de energia, e alguns danos. Não se trata de vento de temporal e ocorre com sol e nuvens na maioria das vezes, embora possa soprar com rajadas fortes com tempo nublado ou encoberto sem chuva.

O vento ganha força no final do dia de hoje em algumas cidades e atinge seu pico entre a madrugada e a manhã desta quarta-feira. A Metade Oeste, o Centro do Estado e o Sul gaúcho são as áreas com maior risco de ventania. As rajadas, em média, devem ficar entre 60 km/h e 80 km/h por várias horas e em alguns pontos devem ser mais intensas pelo efeito do relevo local.

Santa Maria é uma cidade que costuma ser muito impactada na presença deste tipo de fenômeno e terá rajadas. Os vales igualmente costumam sentir mais os impactos de correntes de jato em baixos níveis. Desta vez, cidades do Sul gaúcho, especialmente da Campanha e da Serra do Sudeste, podem ser mais afetadas.

Na região metropolitana, municípios próximos da parte Norte da Lagoa dos Patos, em regra, pela topografia (relevo), não costumam ter vento Norte intenso. Já o Vale do Sinos, sobretudo em cidades ao “pé” da Serra costumam ser mais impactadas, mas os dados não indicam o jato com força no Nordeste gaúcho e sim no Oeste, no Centro e no Sul gaúcho

O que é uma corrente de jato em baixos níveis

Em termos leigos, a corrente de jato em baixos níveis é uma corrente de ar estreita encontrada na baixa atmosfera, normalmente em torno do nível de pressão de 850 hPa (ou cerca de 1500 metros de altitude), atuando entre um e dois quilômetros de altura. Ou seja, é um corredor de vento nas camadas baixas da atmosfera.

Tal como as principais correntes de jato, as polares e subtropicais, são “rios” na atmosfera, embora em menor escala e geralmente em velocidades mais lentas. Da mesma forma, são o resultado de gradientes (diferenças) de temperatura em altitudes mais baixas, que levam a um gradiente de pressão e um fluxo de ar perpendicular a esse gradiente.

Estas correntes de jato em baixos níveis (JBN) a Leste dos Andes que trazem ar quente costumam se originar na Bolívia ou no Centro-Oeste do Brasil e apresentam, em regra, uma extensão de centenas de quilômetros do Sul da região amazônica até a bacia do Rio Praia. No Prata, o jato costuma recurvar em direção a Leste para o Atlântico.

São estes episódios de JBN que trazem vento Norte seco quente de forte intensidade às vezes para o Rio Grande do Sul, especialmente precedendo uma frente fria acompanhada de um ciclone extratropical mais profundo, sobretudo no inverno.

É o tipo de situação em que o vento sopra não raro com velocidades perto ou acima de 100 km/h na região de Santa Maria e nos vales, elevando a temperatura noturna para marcas ao redor ou acima de 30ºC, mesmo durante o inverno, em razão do que se denomina de aquecimento adiabático. O vento desce a encosta dos morros e superaquece por compressão, gerando alta temperatura nos vales e baixadas.

Anúncios