Anúncios

A empresa de energia do Paraná trabalha com mais de 1.600 profissionais a fim de restabelecer a luz para centenas de milhares de pessoas que seguem às escuras após as violentas tempestades do fim de semana. Segundo a Copel, o temporal foi o pior já enfrentado pela empresa até hoje no interior paranaense.

Copel/Divulgação

Os danos na rede elétrica foram muito graves a ponto de o vento ter derrubado torres de linhas de transmissão, o que forçou a usina de Itaipu a fazer uma manobra de emergência pela queda da carga de forma a evitar o risco de um apagão no Brasil e no Paraguai.


Em boletim, a Copel informou que no pior momento do temporal do fim de semana, 552 mil unidades consumidoras ou perto de dois milhões de pessoas simultaneamente chegaram a ter o fornecimento de energia interrompido pela ocorrência de raios, queda de árvores, e rajadas de vento que passaram dos 100 km/h em alguns pontos.

Mais de um milhão de domicílios, ou quase quatro milhões de pessoas, tiveram desligamento de energia por algum tempo durante a tempestade no Paraná. Na tarde desta segunda-feira, conforme a empresa, 92 mil unidades consumidoras permaneciam sem luz no estado.

Copel/Divulgação

Equipes da Copel seguiam em campo nesta segunda-feira nos trabalhos de reconstrução das redes danificadas pelo temporal. Eletricistas das regiões Leste e Centro-Sul do Paraná foram deslocados para auxiliar os reparos nas áreas mais castigadas. Desde o início do temporal até a tarde desta segunda foram atendidas 7.300 emergências em todo o Paraná.

A falta de luz por região no Paraná

O Noroeste paranaense foi a região mais severamente atingida pela tempestade. O balanço até a tarde desta segunda-feira era de 392 postes quebrados ou caídos. A prioridade da empresa era concluir a religação dos municípios que estão com o fornecimento interrompido, todos devido ao alto número de postes quebrados em suas fontes de alimentação.

Eram os casos das cidades de Terra Rica, Santa Inês, Ourizona e São Jorge do Ivaí. O município de Terra Rica foi o mais atingido com danos em 54 postes.  Em Mirador, Amaporã e Colorado, os circuitos internos de distribuição de energia foram bastante danificados.

Copel/Divulgação

Cerca de 50 mil unidades consumidoras ainda estão sem energia no Noroeste do Paraná. Na região de Umuarama, linha entre o município e Xambrê teve 23 postes quebrados.


No Norte do Paraná, a região chegou a ter 133 mil unidades consumidoras desligadas no auge do temporal. Hoje, aproximadamente 16 mil unidades consumidoras seguiam sem energia. O saldo de postes quebrados na região chega a 257. Alvorada do Sul foi o município mais prejudicado com quase toda as unidades sem luz. Em Londrina, há 4,5 mil domicílios sem energia, e em Ibiporã, 2 mil.

No Oeste e no Sudoeste do Estado, a maior parte dos circuitos de baixa tensão já foi restabelecida e restam aproximadamente 24 mil unidades consumidoras que ainda estão sem energia. Os municípios mais afetados são Medianeira, São Miguel do Iguaçu, e Ramilândia. A região já soma 275 postes quebrados.

Anúncios