Anúncios

Tempestade em Cascavel | Celso Dias/Olho no Lance

Tempestades provocam estragos em diversas regiões do Paraná neste sábado e os temporais seguem nesta noite em vários pontos do território paranaense. O tempo severo começou pelo Oeste paranaense com um sistema convectivo de mesoescala (aglomerado de tempestades) e avançou para as demais regiões.

Um forte temporal atingiu a cidade de Cascavel, no oeste do Paraná, e deixou muitos estragos. A chuva caiu intensamente na tarde de hoje e veio acompanhada de ventos de 98,8 km/h. Nas redes sociais, vídeos impressionantes mostram o avanço da tempestade na região. “Cascavel hoje parecia aqueles filmes de catástrofe global, raio e árvores caindo, semáforos sem energia e chuva de granizo”, comentou um usuário na rede social Twitter.

Houve falta de luz no centro do município e a prefeitura foi acionada para atender diversas ocorrências como quedas de árvores que danificaram carros e atingiram fios de energia. Uma delas desabou no zoológico da cidade, que ficará fechado para limpeza neste fim de semana.

Chuvas e fortes ventos registrados neste sábado em Foz do Iguaçu derrubaram árvores e destruíram o telhado do prédio administrativo da Universidade Estadual do Oeste do estado (Unioeste). Houve ainda queda de postes no município.

Já o forte temporal que atingiu a cidade de Londrina na tarde deste sábado deixou inúmeras residências sem energia elétrica. Londrina tem, neste momento dezenas de milhares de consumidores sem luz e pelo menos 20 circuitos alimentadores desligados. Muitos postes de energia caíram pela cidade, alguns, inclusive, pegaram fogo por conta da tempestade. Árvores também caíram sobre fios de energia em vários pontos da cidade. Torre de energia caíram na região.

Além do vento forte, os temporais trouxeram granizo. Há relatos de lavouras completamente destruídas pelas pedras de gelo em cidades do Oeste e do Noroeste paranaense. Entre Campo Mourão e Cascavel, rodovia ficou coberta de gelo pela grande quantidade de granizo que caiu. No município de Jesuítas, o granizo foi de grande tamanho.

O cenário que traz o tempo severo no Paraná é consequência de dois sistemas meteorológicos. O primeiro é um centro de baixa pressão profundo de 995 hPa que atuava hoje com ar quente no Paraguai e no Norte da Argentina. O segundo, uma frente fria que avança pelo Sul do Brasil e encontra ar muito quente em sua dianteira.

Inicialmente, houve a formação de um sistema convectivo de mesoescala (aglomerado de nuvens de temporal) sobre o Paraguai com nuvens muito carregadas que avançaram para o Oeste do Paraná com tempestade. Na sequência, formou-se uma linha de tempestades muito intensa associada ao deslocamento da frente fria capaz de gerar fenômenos muito severos que atua nesta noite principalmente do Centro para o Norte do Paraguai, Sul do Mato Grosso do Sul e no Paraná.

Mais tempestades a caminho

O risco de tempo severo é muito alto nesta noite no Norte do Paraguai, no Sul do estado do Mato Grosso do Sul e no Paraná. O Oeste do Paraná já teve temporais durante este sábado com a atuação do sistema convectivo no Paraguai. O município de Jesuítas foi atingido por pedras de granizo de grande tamanho.

SMN/NOAA

O grande risco de tempo severo neste domingo é nos estados do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraná na primeira metade do dia e o interior de São Paulo, não se descartando que os temporais alcancem até o Sul de Goiás e o Triângulo Mineiro. Em São Paulo, o Oeste paulista será a área de maior perigo de tempestades fortes.

O impressionante alinhamento de tempestades que se observa agora nas imagens de satélite vai avançar para o Mato Grosso do Sul, o Paraná e o estado de São Paulo. Os três estados têm alto risco de temporais isoladamente fortes a severos com danos.


A maior preocupação, porém, é com o estado do Mato Grosso do Sul que deve enfrentar condições muito perigosas de tempo severo nas próximas horas com tempestades localmente violentas e com alto potencial destrutivo por vento e granizo.

O ambiente atmosférico será propício ao registro de tempestades muito severas com episódios isolados severos de vento forte em que há risco de fortes vendavais por frentes de rajadas, violentas correntes descendentes de vento (microexplosões ou downburst) e mesmo o risco de tornado isolado.

Anúncios