Anúncios

USGS

Rios de lava emitidos do vulcão Mauna Loa, na Ilha Grande do arquipélago do Havaí, nos Estados Unidos, aproximavam-se nesta sexta-feira de uma das principais rodovias locais, informaram as autoridades. O maior vulcão ativo do mundo entrou em erupção na noite de domingo (hora local), depois de uma pausa de quase 40 anos.

Durante a semana, fontes de lava e rochas fundidas de até 60 metros de altura emanaram de seu cume. Os rios de lava provenientes da terceira fissura da grande cratera alcançaram uma velocidade de até 40 metros por hora no último dia, informou nesta sexta-feira o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), antes de diminuir o ritmo do avanço.


Em seu boletim mais recente, as autoridades detalharam que a lava estava a 5,2 quilômetros da importante autopista Daniel K. Inouye (Saddle Road) e que, de acordo com o observado nas últimas horas, o rio de lava deve alcançar esta via de trânsito em uma semana.

“Contudo, há muitas variáveis em jogo e tanto a direção como o tempo de avanço do fluxo são fluidos, e espera-se que mudem em períodos de horas para dias”, esclareceram. O USGS destacou que a terceira fissura é a que emana maiores fluxos de lava, enquanto as duas primeiras alimentam os rios ladeira abaixo.


A quarta fissura emana fluxos deste material incandescente que se deslocam para Nordeste. Por ora, nenhuma propriedade está ameaçada pelo fenômeno natural, ressaltou o USGS. “Nosso monitoramento sísmico detecta tremores na localização das fissuras atualmente ativas. Isso indica que o magma continua sendo abastecido e é provável que a atividade continue enquanto este sinal estiver presente”, acrescentou o USGS.

As autoridades advertem que os ventos podem arrastar colina abaixo gases vulcânicos, cinzas finas e fibras de vidro basáltico conhecidas como cabelos de Pele, em alusão à deusa havaiana dos vulcões e do fogo. Estes fios, que podem chegar a medir até dois metros, são formados quando os novelos de lava esfriam rapidamente no ar. Eles podem ser bastante afiados e representam um perigo com potencial de causar ferimentos nos olhos e na pele.

Saiba mais sobre o vulcão Mauna Loa

Mauna Loa, que cobre metade da ilha do Havaí, entrou em erupção 33 vezes desde 1843, a primeira “erupção histórica bem documentada” do vulcão, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos. O vulcão entrou em erupção pela última vez em 1984, tornando o período de calma mais prolongado da história registrada do vulcão.

Trata-se do maior vulcão da Terra em volume. Seu nome significa “Montanha grande” e ele cobre metade da Ilha Grande e é maior que as outras ilhas do Havaí juntas. Os flancos submarinos do vulcão se estendem ao longo de vários quilômetros até o leito oceânico que, por sua vez, está deprimido pela enorme massa do Mauna Loa, o que faz com que seu cume esteja a cerca de 17 quilômetros acima de sua base, segundo o USGS.

A cratera do cume de Mauna Loa fica a cerca de 34 quilômetros a Oeste de Kilauea, um vulcão menor cuja erupção ao longo de meses em 2018 expeliu lava no bairro de Leilani Estates, destruindo mais de 700 casas e desalojando moradores. A sua atividade sísmica aumentou de cinco para dez terremotos por dia desde junho de 2022 para cerca de 10 a 20 terremotos por dia em julho e agosto, de acordo com o USGS.

Mauna Loa é um dos cinco vulcões que juntos compõem a Grande Ilha do Havaí, que é a ilha mais ao Sul do arquipélago havaiano. Mauna Loa, com pico de 4.169 metros acima do nível do mar, é o vizinho muito maior do vulcão Kilauea. A sua lava pode fluir muito mais rápido.

Durante uma erupção de 1950, a lava da montanha viajou 24 quilômetros até o oceano em menos de três horas. Na erupção mais recente, em 1984, que durou 22 dias e produziu fluxos de lava, o magma chegou a apenas sete quilômetros de Hilo, cidade onde atualmente moram cerca de 44.000 pessoas.

Anúncios