Anúncios

Imagem aérea divulgada pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos mostra o fluxo de lava do vulcão de Mauna Loa na manhã desta segunda-feira no Havaí | USGS/AFP/METSUL METEOROLOGIA

O maior vulcão ativo do mundo, Mauna Loa, entrou em erupção hoje pela primeira vez em quase 40 anos, provocando um alerta de queda de cinzas na segunda-feira para a Ilha Grande do Havaí e águas circundantes. A erupção no Parque Nacional dos Vulcões do Havaí não ameaça área habitadas ou voos.

Mesmo assim cinzas podem se acumular em partes da ilha, de acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia em Honolulu, pois os ventos podem transportar cinzas finas e gás vulcânico conforme o vento. “Pessoas com doenças respiratórias devem permanecer em ambientes fechados para evitar a inalação das partículas de cinzas e qualquer pessoa do lado de fora deve cobrir a boca e o nariz com uma máscara ou pano”, alertou o escritório de Honolulu.

O Serviço Nacional de Meteorologia em Honolulu advertiu ainda no seu alerta sobre “possíveis danos às plantações e aos animais, pequenos danos em equipamentos e infraestrutura, com visibilidade reduzida”. A queda de cinzas pode danificar veículos e edifícios, contaminar o abastecimento de água, danificar ou matar a vegetação e afetar a rede elétrica, segundo o serviço meteorológico.

Os fluxos de lava estão contidos na área do cume e não ameaçam as comunidades em declive, disse o Observatório do Vulcão do Havaí. O brilho do vulcão era diferente de tudo que já se tinha visto, afirmou o residente de Kailua-Kona, Matthew Liano.

“Com base em eventos passados, os estágios iniciais de uma erupção do Mauna Loa podem ser muito dinâmicos e a localização e o avanço dos fluxos de lava podem mudar rapidamente”, afirmou o observatório do Havaí, acrescentando que “se a erupção seguir os fluxos de lava irão provavelmente estar confinado dentro das paredes da caldeira”. “Se as aberturas eruptivas migrarem para fora de suas paredes, os fluxos de lava podem se mover rapidamente ladeira abaixo”, informou.

Mauna Loa, que cobre metade da ilha do Havaí, entrou em erupção 33 vezes desde 1843, a primeira “erupção histórica bem documentada” do vulcão, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos. O vulcão entrou em erupção pela última vez em 1984, tornando o período de calma mais prolongado da história registrada do vulcão.

A cratera do cume de Mauna Loa fica a cerca de 34 quilômetros a Oeste de Kilauea, um vulcão menor cuja erupção ao longo de meses em 2018 expeliu lava no bairro de Leilani Estates, destruindo mais de 700 casas e desalojando moradores. A sua atividade sísmica aumentou de cinco para dez terremotos por dia desde junho de 2022 para cerca de 10 a 20 terremotos por dia em julho e agosto, de acordo com o USGS.

aumento da atividade levou o Parque Nacional dos Vulcões do Havaí em outubro a fechar o cume de Mauna Loa para todos os caminhantes do interior até novo aviso, embora o Serviço Nacional de Parques dos EUA tenha dito que a seção principal do parque permaneceu aberta.

Mauna Loa é um dos cinco vulcões que juntos compõem a Grande Ilha do Havaí, que é a ilha mais ao Sul do arquipélago havaiano. Mauna Loa, com pico de 4.169 metros acima do nível do mar, é o vizinho muito maior do vulcão Kilauea. A sua lava pode fluir muito mais rápido. Durante uma erupção de 1950, a lava da montanha viajou 24 quilômetros até o oceano em menos de três horas.

Anúncios