Anúncios

Pancadas de chuva, algumas isoladamente fortes e com nuvens carregadas, são esperadas em Porto Alegre e outras cidades gaúchas nos próximos dias | FABIANO GUTIERRES/ARQUIVO METSUL

Estão recordados daqueles dias que a manhã é de sol e nuvens, mas de repente de tarde o céu escure e chove até forte em alguns pontos com risco de temporais? Então, é uma situação que é típica de verão e será bastante frequente para muitos gaúchos nos próximos dias.

Estes dois últimos dias de novembro e a primeira semana de dezembro terão um padrão atmosférico que favorecerá chuva frequente no Rio Grande do Sul. Isso, entretanto, não significa que os dias serão cinzentos e chuvosos ou tampouco que os volumes de chuva tendam a ser altos.


As precipitações serão bastante irregulares e na forma de pancadas isoladas em muitos locais, em regra da tarde para a noite e após horas de sol, nuvens e calor que estimulam a formação das nuvens de chuva.

Hoje, por exemplo, o avanço de ar úmido com nuvens que se deslocam do Atlântico para a costa gerou chuva em pontos do Nordeste gaúcho. Os mais altos volumes se deram, por efeito do relevo, onde a Serra encontra o litoral, como em Cambará do Sul. Chegou a chover e garoar em alguns pontos da Grande Porto Alegre no início da tarde, durante o jogo do Brasil, como na capital e Viamão.


A condição que vem favorecendo o aporte de umidade para o Leste de Santa Catarina e do Paraná com altos volumes de chuva e enchentes deverá se intensificar a partir desta terça-feira, o que significará maior ingresso de umidade também no território gaúcho e chuva em um maior número de locais.

Por isso, pontos das Metades Norte e Leste do estado têm chance de precipitação nesta terça, especialmente à tarde. O sol aparece em quase todo o Rio Grande do Sul nesta terça-feira, mas grande parte das cidades gaúchas terá ao menos nuvens esparsas. Maior nebulosidade nos morros entre a Serra e o Litoral Norte.

Chove nesta terça em pontos da Metade Norte e do Leste gaúcho, especialmente à tarde, à medida que ar úmido que vem do mar interage com a atmosfera aquecida sobre o continente e favorece nebulosidade com maior desenvolvimento vertical. A chuva, embora muito irregular, pode ser forte em setores localizados.

Dados dos modelos mostram incremento ainda maior de água precipitável (umidade) no território gaúcho na segunda metade desta semana. Com isso, pancadas de chuva típicas de verão, por natureza breves e isoladas que se alternam com sol, devem ser frequentes em Porto Alegre e muitas cidades gaúchas ao menos até o começo da próxima semana, sobretudo durante a tarde após horas de sol e nuvens.

Observe a projeção de água precipitável do modelo norte-americano GFS para a tarde desta terça (esquerda) e compare com que o modelo indica para a mesma variável na tarde de quinta (direita). Observe como os índices de água precipitável, e, portanto, de umidade presente na atmosfera, serão muito mais altos.

A chuva neste fim de novembro e no começo de dezembro deve atingir a grande maioria das cidades gaúchas, mas enfatiza-se que será bastante irregular. Assim, pontos de uma mesma cidade podem ter baixos ou altos volumes. Pode, inclusive, não chover em algumas cidades.

Pancadas isoladas associadas ao calor e umidade são “lotéricas”. Não raro caem num bairro e não caem no vizinho. Por isso, a projeção de chuva para os próximos sete dias não sinaliza chuva volumosa no estado gaúcho, mesmo com previsão de pancadas frequentes.

Uma vez que estas nuvens de chuva se formam pela combinação de ar quente e umidade, algumas podem ser carregadas e trazer chuva isolada de forte intensidade com altos volumes em curto período. Com calor, mesmo a possibilidade de alguns temporais localizados passageiros e típicos de verão não podem ser descartados acompanhando as pancadas geradas pelas nuvens com grande desenvolvimento vertical.

Anúncios