Anúncios

Chegada do temporal em Porto Alegre na tarde do domingo com uma nuvem que assustava quem observava a aproximação da tempestade do Aeroporto Salgado Filho | José Arthur Eidt

O Rio Grande do Sul ingressa hoje no seu 13º dia da onda de calor com a perspectiva de outra jornada de temperatura muito alta e valores extremos, o que assim como ocorreu ontem em diversas regiões deve resultar em muitos temporais da tarde para a noite e com potencial de causar estragos e transtornos em diferentes cidades. Há risco de novos vendavais fortes e de queda de granizo e episódios de chuva intensa em curto período.

Uma massa de ar extremamente quente permanece atuando no território gaúcho associada ao que se denomina de cúpula ou bolha de calor, o que somente será rompida por uma frente fria entre quarta e quinta-feira que vai colocar fim à onda de calor. Até quarta, os gaúchos vão seguir sendo castigados pelo calor em níveis extremos, o que pode levar o Rio Grande do Sul a completar a impressionante marca de 15 dias seguidos com máximas de 40ºC.


Já são doze dias seguidos com máximas acima de 40ºC no estado e as estações do Instituto Nacional de Meteorologia registraram 41,5ºC em Quaraí no dia 12; 41,7ºC (recorde) em Bagé no dia 13; 40,8ºC em Bagé no dia 14; 40,6ºC em Uruguaiana no dia 15; 41,8ºC em Uruguaiana dia 16; 40,2ºC no dia 17 em Teutônia; 41,1ºC em Santa Rosa em 18 de janeiro; 41,5ºC em São Luiz Gonzaga no dia 19; 42,1ºC em Uruguaiana no dia 20; 41,8ºC dia 21 em Uruguaiana; 41,6ºC dia 22 em Uruguaiana; e 42,1ºC ontem em São Luiz Gonzaga.

A lista vai ser aumentada nesta segunda à medida que a temperatura mais uma vez superará os 40ºC no Rio Grande do Sul hoje. Grande parte das cidades gaúchas terá máximas acima de 35ºC com registros acima de 40ºC em pontos do Oeste, do Noroeste e da faixa central do estado. A Grande Porto Alegre terá entre 37ºC e 39ºC na maioria das cidades enquanto o Noroeste e a Fronteira Oeste voltam a passar dos 40ºC.


O sol aparece com nuvens na maior parte do Estado, mas no decorrer do dia ocorrem períodos de maior nebulosidade. Ar quente e úmido traz pancadas de chuva da tarde para a noite. A chuva é novamente mal distribuída e não atinge todos os municípios, mas, tal como ontem e nos últimos dias, pontos localizados podem ter chuva intensa de curta duração com possíveis alagamentos. Em alguns poucos locais, a chuva já chega na parte da manhã, mas a instabilidade maior mesmo vai se dar na segunda metade do dia, quando muitas nuvens carregadas e de grande desenvolvimento vertical se formam rapidamente com o calor.

Preocupa a probabilidade muito alta mais uma vez de temporais que novamente virão com ocorrências de queda isolada de granizo e principalmente de vendavais localizados, o que pode trazer estragos e transtornos à população em diversas cidades. Com a alta temperatura, é elevado o risco de vendavais localizados capazes de produzir danos como destelhamentos, queda de postes, colapso de estruturas e queda de árvores com efeitos no abastecimento de energia.

Como são eventos de tempo severo bastante isolados não é possível dizer horas antes onde exatamente ocorrerão, mas grande parte do Rio Grande do Sul, incluindo a Grande Porto Alegre, estará sob risco de tempestades localizadas da tarde para a noite. Não necessariamente cidades castigadas por tempestades ontem terão temporal hoje de novo, mas em alguns municípios os temporais podem se repetir.

Temporais causaram danos ontem na Grande Porto Alegre

Um temporal com chuva forte e raios atingiu Porto Alegre por volta das 17h do domingo, mas não trouxe maiores consequências. A chegada da tempestade foi muito fotogênica e gerou imagens impressionantes da formação de tempestade avançando sobre a cidade com um paredão escuro e o céu atrás na cortina de chuva em cores chumbo e praticamente esverdeado. Veja as imagens da chegada do temporal feitas por seguidores da MetSul Meteorologia nas redes sociais.

@gustavotimm

@emipemlt

@Lenilton_Morato

@bibianaaaa

@jordanizzzle

@cristiano_svia

@leandrolefa

@OllePons

@tatibernardo

@Marianosainz97

@samieh_saleh

O temporal de verão em Porto Alegre causou apenas ocorrências muitos isoladas e não teve maiores efeitos na rotina da cidade. As rajadas de vento no Aeroporto Internacional Salgado Filho chegaram a 70 km/h. Em bairros da zona Sul, a chuva foi pouca.

Onde mais choveu foi do Centro em direção à divisa com Canoas. Na área central da capital, a precipitação somou 21 mm ou um quinto da média do mês em menos de uma hora. Com a chuva, a temperatura que em alguns bairros chegou a 38ºC caiu para 24ºC a 25ºC, mas o abafamento prosseguiu.

Uma embarcação ficou à deriva no Guaíba durante o temporal que atingiu Porto Alegre. A família que estava a bordo foi resgatada no início da noite por uma lancha de passeio, no local conhecido como Ilha da Casa da Pólvora. Equipes do Corpo de Bombeiros Militar chegaram a fazer buscas na região, mas por volta das 19h um homem que estava na embarcação informou que o grupo tinha sido resgatado.

Embora a tempestade passageira de verão com duração de 30 a 45 minutos não tenha causado estragos na capital, a vizinha Canoas teve transtornos e danos pelo temporal. Em menos de uma hora choveu 38 milímetros, aproximadamente 40% da média para o mês de janeiro. A chuva intensa trouxe destelhamentos, queda de árvores e alagamentos, além de falta de luz.

Na Rua Humaitá, em frente à Secretaria da Segurança, uma árvore caiu. Uma pessoa ficou presa no carro por causa da enxurrada na Guilherme Schell. No bairro Nossa Senhora das Graças, a chuva ocasionou alagamentos. Na Boqueirão e nas proximidades do ParkShopping, ruas ficaram alagadas e residências e comércio sem energia elétrica. Já no bairro Harmonia, raio atingiu uma casa. No Marechal Rondon, a chuva também foi intensa e ocasionou alagamento nas ruas e pátios das casas.

Temporais no interior gaúcho

Temporais atingiram ainda cidades como Amaral Ferrador, Vacaria e Erechim. Na cidade de Amaral Ferrador, na região de Camaquã, a tempestade da tarde acabou destelhando casas, derrubando postes, e causou outros estragos. Fios e telhas se espalhavam pelas ruas da área urbana do município. A CEEE mobilizou equipes para restabelecer a luz na cidade.

Na região de Casca, o vendaval derrubou árvores. Em Espumoso, vendaval derrubou o galpão de uma empresa. Um carro que estava no local, com um casal e uma criança, foi atingido pelos postes e pelo telhado. Apesar de o veículo ter ficado entre os destroços do prédio destruído, os ocupantes não se feriram.

O temporal do fim da tarde do domingo deixou 80 mil clientes da RGE sem energia elétrica no Rio Grande do Sul. A informação foi confirmada pela empresa às 20h40, por meio da assessoria de comunicação. A RGE não detalhou as cidades mais atingidas. “As equipes estão totalmente mobilizadas para restabelecer o fornecimento no menor tempo possível”, disse a nota. Canoas foi uma das cidades mais atingidas.

Anúncios