Que uma nevasca no final de janeiro feche a fronteira da França com a Espanha, ou da Itália com a Áustria,  ou Alemanha com a Polônia até se encararia como algo significativo, apesar de não fora do comum. Mas que uma tempestade de neve feche a fronteira da Argentina e Chile em pleno auge do verão vai um monte além. 

Foi o que ocorreu neste sábado. A mudança abrupta do tempo trouxe chuva em toda a província argentina de Mendoza. A cordilheira não foi exceção e a precipitação veio na forma de muita neve na alta montanha. 


Devido às condições climáticas extremas pelo temporal branco e a trafegabilidade precária, a passagem de fronteira Cristo Redentor foi fechada. Ela é muito utilizada por caminhoneiros brasileiros que transportam carga entre a Argentina e o Chile. 

O Governo do Chile emitiu nota na qual afirma que “por decisão de ambos os coordenadores fronteiriços, desde 8h da manhã neste sábado o trânsito de todos os tipos de veículos por este corredor internacional está suspenso”.


Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Santiago do Chile teve recorde de chuva para um só dia em janeiro desde o começo das medições em 1911. De acordo com a Dirección Nacional de Meteorologia do Chile, chuva volumosa para os padrões locais atingiu áreas do Centro e do Sul do país. A DNM atribui o excesso de chuva ao que definiu como “um incomum e atípico sistema frontal completamente anormal para a época do ano”.