Anúncios

O Brasil é sacudido há vários dias por manifestações de rua com dimensão que não era vista há décadas, tendo precedentes na história recente apenas no movimento das Diretas (Emenda Dante de Oliveira), em 1984, e no caso do impeachment do ex-presidente e atual senador Fernando Collor. O movimento, inicialmente, contra as passagens de ônibus e que surgiu em Porto Alegre se ampliou pelo país e hoje possui uma pauta muito mais ampla que vai das crises na saúde e educação aos gastos com a Copa do Mundo e a PEC37.


Protestos ocorrem na maioria dos estados do país e reúnem em alguns casos multidões, como foi o caso do Rio de Janeiro na última segunda-feira, quando cerca de cem mil pessoas foram às ruas. Jornalistas e analistas de política são unânimes em afirmar que os movimentos nas ruas pegaram a classe política de surpresa que reagiu “atônita” e “perplexa” aos protestos de rua.


A força e a dimensão das manifestações fizeram com que o Correio Braziliense de ontem comparasse a atual onda de protestos no Brasil, que ganha ampla repercussão mundial, a um tornado, que sabemos ser o mais severo fenômeno conhecido na atmosfera e que provoca graves estragos pela sua força. Diz o jornal na manchete ao lado de tornado verde e amarelo: “Manifestações desnorteiam a velha política”. E, então, amigo internauta da MetSul, na escala Fujita dos tornados, qual seria a “classificação” entre 0 (fraco) e 5 (devastador) para o que você está testemunhando em nosso país neste momento ?

Anúncios