Anúncios

Foi um sábado de condições extremas, atípicas e incomuns no Cone Sul com muitos fenômenos adversos, condições pouco usuais para esta época do ano e até recordes de mais de um século na região.

Tempestades na Argentina

O deslocamento de um centro de baixa pressão trouxe fortes tempestades em províncias centrais do país. A cidade de Córdoba teve 80 mm em menos de duas horas. 


Tempestades avançam da Argentina pro Sul do Brasil

Sudestada no Prata

A atuação de um centro de baixa pressão provocou elevação do nível do Rio da Prata com alagamentos na margem da Argentina, em Buenos Aires.

Neve na Cordilheira

Uma nevasca atingiu os Andes na fronteira da Argentina com o Chile. A passagem de fronteira Cristo Redentor foi fechada. Ela é muito utilizada por caminhoneiros brasileiros que transportam carga entre a Argentina e o Chile. 

Nevasca fecha fronteira da Argentina e Chile

Recorde de chuva no Chile

Santiago do Chile acaba de bater o recorde histórico de chuva para janeiro de mais de um século para o mês de janeiro. De acordo com a Dirección Nacional de Meteorologia do Chile, chuva volumosa para os padrões locais atingiu áreas do Centro e do Sul do país. A DNM atribui o excesso de chuva ao que definiu como “um incomum e atípico sistema frontal completamente anormal para a época do ano”.

Frente “anormal” traz recorde de chuva no Chile

Tempo severo no Uruguai 

A influência de um centro de baixa pressão gerou fortes áreas de instabilidade no território uruguaio com acumulados isoladamente extremos e tempestades de vento.

Temporais no Rio Grande do Sul 

Uma linha de tempestades associada ao centro de baixa pressão na Argentina gerou temporais no Estado com muita chuva em alguns municípios e vendavais isolados com rajadas de até 100 km/h.

O risco de temporais segue neste domingo no Sul do Brasil, especialmente no Norte gaúcho, Santa Catarina e Paraná. 

Anúncios