Anúncios

Cidade de São Paulo e região metropolitana terão frequentes ocorrências de chuva localmente forte a torrencial com alagamentos por temporais isolados nesta semana e nos primeiros dez dias de dezembro | OSWALDO CORNETI/FOTOS PÚBLICAS/ARQUIVO

Chuva localmente forte a intensa e temporais passageiros com muita água, raios e até risco de queda de granizo serão comuns na cidade de São Paulo e na Grande São Paulo no restante da semana e nos primeiros dez dias de dezembro.

A dinâmica atmosférica que se instala é a típica de verão em que o ar quente e úmido tropical favorece a formação de nuvens carregadas principalmente da tarde para a noite com registro de chuva localmente torrencial e tempestades.


Estes temporais de verão podem despejar em alguns pontos grandes volumes de água em curto intervalo, gerando alagamentos e inundações repentino, além de transbordamento tanto de arroios como córregos que são incapazes de dar vazão a tamanho volume de água em tão curto intervalo, sobrepujando o sistema de macrodrenagem.

A capital paulista está ingressando no período mais chuvoso do ano, conforme dados históricos da climatologia. Na cidade de São Paulo, a chuva em dezembro tem média de 231,1 mm, a terceira mais alta média de precipitação mensal, apenas superada pela de janeiro (292,1 mm) e fevereiro (257,7 mm).


Neste momento, uma área de menor pressão atmosférica na costa de São Paulo reforça ainda mais o ingresso de umidade, o que favorece a formação das nuvens carregadas com aguaceiros, embora possam ocorrer momentos de melhoria em que o sol aparece entre nuvens com aquecimento e abafamento.

Ontem, na tarde da segunda-feira, a capital paulista foi atingida por forte chuva. As zonas Norte, Leste, Oeste, Sudeste, Sul e central, além da Marginal Tietê e da Marginal Pinheiros, foram colocadas em estado de atenção para alagamentos. As subprefeituras de Vila Prudente, Penha e Itaim Paulista, na zona Leste, e a de Campo Limpo, na zona Sul, tiveram nível de alerta.

A chuva causou o transbordamento dos Córrego Mooca, Franquinho e o Lajeado. O Corpo de Bombeiros atendeu ao menos 13 chamados para quedas ou vistoria de árvores, dois por inundação e alagamento, dois para desmoronamento e desabamento e um para queda de fio energizado A circulação de trens entre as estações Engenheiro Manoel Feio e Jardim Romano da CPTM chegou a ser interrompida devido ao alagamento da via.

Anúncios