Anúncios

O ciclone Batsirai atingiu neste sábado, 5, a costa leste de Madagascar, com rajadas de vento de 235 km/h. Além disso, tempestades geraram o temor de “danos generalizados”, alertou o serviço meteorológico da grande ilha do Oceano Índico.

LAURE VERNEAU/AFP

O distrito de Mananjary, a mais de 530 km da capital, Antananarivo foi caminho para passagem do ciclone. “Confirmo que o Batsirai atingiu Mananjary por volta das 20 horas locais”, disse à AFP o meteorologista Lovandrainy Ratovoharisoa.


O Batsirai tocou a terra “14 km ao norte da cidade de Mananjary, como um ciclone tropical intenso, com ventos de 165 km/h e rajadas de 235 km/h”, confirmou à AFP Faly Aritiana Fabien, funcionário do escritório nacional de gestão de riscos e desastres.

 


Os habitantes se prepararam para enfrentar a tempestade com os recursos que possuem. A ilha, localizada na costa Sudeste da África, já foi muito afetada pela tempestade tropical Ana em janeiro. Desde sexta-feira, a região é varrida por ventos e chuvas contínuos.

Ana, que também afetou Malawi, Moçambique e Zimbábue, causou uma centena de mortes (56 delas em Madagascar) e dezenas de milhares de afetados.

Os habitantes da cidade costeira de Vatomandry afirmam estar acostumados aos ciclones. Na manhã de sábado, o município africano registrou rajadas de ventos de mais de 50 quilômetros por hora, acompanhadas de ventos intermitentes.

A Organização das Nações Unidas disse que elevou seu nível de alerta e deixou pronto um avião de resgate e ajuda humanitária. Espera-se que o impacto de Batsirai em Madagascar seja “considerável”, afirmou na sexta-feira para a imprensa em Genebra Jens Laerke, porta-voz da OCHA, a agência humanitária da ONU.

Ao menos ,131 mil pessoas foram afetadas por Ana em todo Madagascar em janeiro desse ano. Em um único mês, 58 pessoas morreram, em sua maioria em Antananarivo, capital da ilha. A tempestade também atingiu Malawi, Moçambique e Zimbábue, onde também deixou dezenas de mortes.

Anúncios