Anúncios

Granizo caiu em grande quantidade em pontos de Santa Catarina no final da última semana e chegou a acumular em rodovias | POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA/DIVULGAÇÃO

O estado de Santa Catarina enfrenta uma sucessão de dias com temporais com estragos. Desde o final da semana passada os catarinenses enfrentaram várias ocorrências de chuva localmente forte, granizo e vendavais que produziram danos e transtornos para a população em diversos municípios e de várias regiões do estado.

Ontem, por exemplo, no município de Jaraguá do Sul, um forte temporal com chuva extrema em curto período trouxe inundações repentinas, deslizamentos de terra, quedas de muros e de árvores e falta de energia, e abalo estrutural em uma ponte da cidade. A sede da Prefeitura foi alagada com a chuva.


Outra cidade castigada em Santa Catarina na tarde da segunda-feira foi Palhoça, onde a chuva veio com intensas rajadas de vento em alguns pontos. A Defesa Civil de Palhoça fez uma estimativa l de 40 casas destelhadas e 20 árvores derrubadas pelo forte vendaval localizado na localidade. No Vale do Itajaí, as mesmas áreas de instabilidade geradas no Nordeste catarinenses trouxeram alagamentos.

No final da última semana, vários temporais causaram estragos em diversas regiões do estado catarinense. Na sexta, vento trouxe danos em Princesa, no Oeste. Um dia antes, tempestade tinha atingido Joinville com danos em diferentes pontos do município como destelhamentos e quedas de árvores. A Igreja Nossa Senhora da Paz teve uma parede externa que desmoronou pela ação do vento forte.


Na mesma quinta-feira, temporais de granizo castigaram diversas cidades catarinenses. Alguns pontos tiveram tanto granizo que o gelo acumulou e mudou a paisagem. Foi o caso da cidade de Urupema, no Planalto Sul. Houve danos em telhados e casas ficaram alagadas, mas o pior ocorreu para os produtores rurais que contabilizaram enormes perdas nas produções de ervilha, moranga e maçã. A safra de maçã que já acumulava perdas graves com a estiagem foi praticamente liquidada com o granizo.

O que explica tantos temporais? Apenas o verão sendo verão. Nada de extraordinário ou fora do comum ocorreu em Santa Catarina e tampouco o fenômeno climático La Niña tem efeito nos temporais ocorridos. O calor e a umidade, habitualmente, formam áreas de instabilidade da tarde para a noite com chuva localmente forte, granizo e ventania. Passagens de sistemas como cavados ou frentes frias, o que se teve nos últimos dias, acabam reforçando a instabilidade.

Estas pancadas e temporais muito isolados e passageiros associados ao calor que ocorrem no período quente do ano são verdadeiro tormento para quem prevê o tempo. A famosa chuva de verão. Por quê? É possível prever pancadas e temporais isolados numa determinada região, mas estabelecer exatamente onde ocorrerão com antecedência é muito difícil.

São inúmeros os casos de parte de uma cidade estar com sol e calor na mesma hora que outra parte da mesma localidade, a poucos quilômetros, estar sob chuva e temporal. Ou uma cidade estar com chuva e o município imediatamente ao lado estar com sol. Ontem, por exemplo, Jaraguá do Sul chegou a ter 90 mm de chuva em uma hora, mas em vários municípios próximos mal choveu. A convecção (movimentos ascendentes do ar na atmosfera) ativada pela temperatura mais alta forma nuvens carregadas localizadas que causam estes temporais.

E o risco de temporais isolados prossegue em Santa Catarina, mas menor que nos últimos dias. Hoje e amanhã, a atmosfera quente e úmida traz pancadas muito isoladas de chuva da tarde para a noite em pontos do estado catarinense, mas serão ocorrências bastante localizadas. Um ponto ou outro pode ter algum temporal, mas a esmagadora maioria das cidades do estado não deve ter qualquer evento de tempo severo.

Anúncios