Anúncios

Um novo ciclone extratropical vai se formar neste começo de semana no Oceano Atlântico a Sudeste do Rio Grande do Sul e será mais profundo e intenso que o sistema formado durante a sexta-feira na região do Chuí. O ciclone deste início de semana trará chuva para o estado gaúcho e vento em algumas regiões.

Uma área de baixa pressão avança do Centro da Argentina para o Uruguai neste domingo e vai começar a se aprofundar. No final do dia, a área de baixa pressão vai estar sobre o território uruguaio com pressão ao redor de 1.000 hPa.


Na madrugada e manhã da segunda, o sistema se aprofunda e sua pressão atmosférica cai para 993 hPa na costa uruguaia e ao Sul do Chuí. O sistema, então, começa uma trajetória para Leste à medida que se distancia do continente com pressão entre 991 hPa e 993 hPa. No final da terça, o centro do ciclone já estará a quase mil quilômetros a Sudeste de Porto Alegre, em mar aberto no Atlântico, com pressão de 992 hPa a 994 hPa.


Por efeito, este sistema agora do começo da semana será mais profundo e intenso do que o ciclone que se formou dois dias atrás quase na mesma região. Seu movimento será para Leste e Sudeste ao se distanciar do continente. Portanto, não como no ciclone da sexta que se deslocou para Leste e Nordeste. Foi o que manteve as pancadas de chuva ontem e hoje pela circulação na Metade Leste gaúcha, até intensas e com transtornos.

Ciclone trará chuva irregular e risco de tempo severo menor

Embora se preveja um ciclone mais profundo, e assim mais intenso, os seus efeitos no tempo do Sul do Brasil serão muito menores que os observados na quinta. Foi quando linha de instabilidade avançou pelo Sul do Brasil com chuva localmente forte e vendavais. Os vendavais deixaram estragos com rajadas de até 109 km/h na Grande Porto Alegre e cerca de dois milhões de gaúchos sem luz.

No caso do ciclone do final da semana passada, a sua formação foi precedida pela presença de ar muito quente sobre o Sul do Brasil. Ao avançar pelo Sul do país, a linha frontal encontrou ar muito aquecido em sua dianteira e pressão atmosférica muito baixa. Foi o que gerou os fenômenos de maior severidade.

Isso não vai ocorrer agora, o que vai determinar que o risco de tempo severo seja baixo. Os temporais devem ocorrer no Nordeste da Argentina e no Sudoeste do Paraguai, e talvez muito isoladamente no Oeste catarinense e paranaense.

A chuva vai ser muito irregular e na maioria das áreas os volumes devem ser baixos. A chuva associada ao centro de baixa pressão começa a ingressar no início deste domingo pelo Oeste do Rio Grande do Sul e depois avança para o Sul gaúcho.

A instabilidade ao avançar pelo estado gaúcho e o restante do Sul do Brasil no decorrer deste domingo enfraquece muito. Com efeito, vai trazer pouco ou nada de chuva para a maioria dos municípios. A região que mais deve ter chuva é o Extremo Sul gaúcho entre este domingo e a segunda. Isso porque vai ficar sob efeito do vórtice do ciclone pela sua proximidade com a tempestade no oceano.

Assim, enquanto a maior parte do Rio Grande do Sul deve ter menos de 10 mm ou 15 mm, na região do Chuí e de Santa Vitória do Palmar deve chover mais e com pancadas fortes. É o que se enxerga na projeção de chuva para 72h (acima) do modelo WRF da MetSul, disponível para nosso assinante na seção de mapas.

Vento aumenta no começo da semana

O vento se intensifica no Sul e no Leste gaúcho na segunda-feira com o ciclone formado ao Sul do Chuí. Mesmo mais profundo que o último, a ausência de um centro de alta pressão expressivo que gere elevado gradiente de pressão atmosférica fará com que o vento não seja intenso.

A previsão é muito semelhante ao observado no dia de ontem com rajadas, em média, de 50 km/h a 70 km/h, ocasionalmente superiores, no Sul e no Leste do Rio Grande do Sul na segunda. O vento será mais forte no Litoral Sul e na região das lagoas. Na maior parte do estado gaúcho, porém, o vento deve ser fraco a ocasionalmente moderado.

Portanto, enfatiza-se que não são esperadas rajadas intensas por horas seguidas de caráter ciclônico no Rio Grande do Sul, como costuma ocorrer durante os ciclones extratropicais de inverno em que há ingresso de fortes massas de ar frio.

A ventania será mais sentida na costa entre o Chuí e Rio Grande, apesar de perceptível a intensificação do vento em todo o Sul e o Leste gaúcho durante a segunda-feira. Na terça, o vento ainda sopra moderado com rajadas por vezes fortes no Extremo Sul gaúcho.

Anúncios