Anúncios

A previsão se confirmou e o Sul do continente se cobriu de branco com uma tempestade de inverno que trouxe grande quantidade de neve na sexta-feira e durante o fim de semana para toda a região da Patagônia. Foi a maior nevada do ano em muitos locais das províncias de Chubut, Santa Cruz, Rio Negro e Neuquén.

Redes sociais/Reprodução

A maior nevada deste ano na região, e por efeito na América do Sul, foi resultado de um profundo centro de baixa pressão que avançou do Pacífico Sul para o Sul do continente. A instabilidade associada ao centro de baixa pressão, ao interagir com o ar gelado, trouxe o episódio de neve significativo no Sul da Argentina.


Dados preliminares indicam que diversas áreas registraram acumulados de 30 cm a meio metro de neve. A grande nevada registrada nos últimos dias permite a reabertura de pistas em várias estações de esqui que estavam fechadas pela escassez do fenômeno durante o mês de julho e o começo deste mês.

Os Andes experimentavam até então o ano com menos neve em meio século. Imagens de satélite mostram neste começo de semana a grande cobertura de neve registrada com a Patagônia coberta de neve (em laranja e vermelho).

INTA

Uma das localidades que mais teve neve, como tradicionalmente ocorre quando registra-se um temporal branco na Patagônia, foi a pequena Coviahue, que teve 1,80 metro de neve acumulada. “Montanhas” de neve se acumulavam nas ruas da pequena cidade e os carros estacionados quase sumiram em meio ao gelo.

Redes sociais/Reprodução

Redes sociais/Reprodução

Devido à nevasca que atingiu a região patagônica no fim de semana, as condições para o trânsito em estradas da região ficaram muito perigosas e as autoridades tiveram muito trabalho para manter as rodovias operacionais e atender motoristas que ficaram com os seus carros presos no gelo por falta de uso de correntes nos pneus.

Seguridad Vial

E não vai parar por aí. Uma nova tempestade de neve deve atingir a Patagônia durante a segunda metade desta semana. Modelos numéricos indicam altos índices de precipitação com ar muito gelado, o que novamente deve trazer grandes acumulados para variados pontos da zona.

Vem para o Sul do Brasil?

Não, não vem. Não teremos precipitação de neve neste fim de agosto. Modelos chegaram até a sugerir em várias rodadas na última semana que uma massa de ar frio poderia trazer neve no Planalto Sul Catarinense no final desta semana, entretanto diminuíram bastante a potência da erupção de ar frio e, com isso, deixaram de indicar chance de neve.


Uma massa de ar frio já atua neste começo de semana no Sul gaúcho, mas o ar frio só vai avançar para o Norte na segunda metade desta semana. Com efeito, queda de temperatura será mais sentida na maioria das áreas do Sul do Brasil principalmente entre quinta-feira e sexta-feira.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

A sexta pode começar com formação de geada em pontos do Oeste e do Sul gaúcho, mas esta massa de ar frio não deve trazer geada para a esmagadora maioria das cidades do Sul do país. As mínimas não devem ser suficientemente baixas para um evento generalizado de geada.

Anúncios