Anúncios

IGN Espanha/Divulgação

Geólogos da Espanha e de outros países acompanham com a atenção a emissão de bombas de lava que têm sido lançadas pelo vulcão Cumbre Vieja, na ilha de La Palma, no arquipélago das Canárias.

A erupção na ilha do Oceano Atlântico pertencente a Espanha teve início no dia 19 de setembro e desde então não cessou, o que faz do processo eruptivo no arquipélago o mais longo em mais de 500 anos. A erupção destruiu até o momento mais de duas mil casas e prédios em razão dos rios de lava que se espalham a partir das várias bocas eruptivas que emitem magma.


O flanco oriental do vulcão está cheio de bombas de lava, de acordo com geólogos espanhóis do Instituto Geográfico Nacional (IGN).

São centenas de pedras cintilantes saídas diretamente do cone vulcânico e que fornecem aos vulcanologistas muitas informações sobre a erupção e sua evolução. Estas bolas de rocha incandescente podem viajar centenas de metros no terreno e são perigosas aos observadores.

Em linha com o que é descrito pelo Instituto Geográfico Nacional (IGN) em um glossário de temos vulcânicos, as bombas de lava são fragmentos de rocha, no estado líquido ou semilíquido, que são expelidos da boca de emissão durante uma erupção, podendo ter um diâmetro de vários centímetros.

Também pode ser o caso de grandes massas esféricas de lava, “com um diâmetro de alguns centímetros a alguns metros” que se originam ao redor de um núcleo sólido em movimento descendo o flanco de um vulcão durante uma erupção. No trajeto, mais material é incorporado, “desta vez líquido, gerando uma bola”, explicam os geólogos.

“Alguns fragmentos são pequenas rochas arredondadas que podem medir até cinco centímetros e são expelidos na forma líquida, resfriando parcialmente durante sua trajetória de queda e adotando formas arredondadas que são chamadas de bombas”, de acordo com o IGN.


As bombas vulcânicas maiores tendem a cair relativamente perto do centro emissor de magma durante uma erupção enquanto os menores piroclastos podem cair vários quilômetros de distância e causar danos a pessoas, telhados e janelas de residências.

Um terremoto de magnitude 5,0 foi registrado nesta quinta-feira na ilha espanhola de La Palma. O terremoto ocorreu às 3h37 (GMT) a Sudoeste de Villa de Mazo e a uma profundidade de 37 quilômetros, de acordo com dados do Instituto Geográfico Nacional da Espanha. O aumento da atividade sísmica profunda sugere que a erupção do vulcão Cumbre Vieja deve se prolongar ainda mais com novos eventos explosivos com muitas bombas de lava.

Anúncios