Anúncios

Cientistas espanhóis que monitoram e fazem previsões sobre a erupção do vulcão Cumbre Vieja enfrentam perigos diários em se trabalho na ilha de La Palma. A precipitação do material piroclástico expelido pelo vulcão é quase constante na ilha de La Palma, perto do cone.

Um dos principais riscos para os cientistas são as chamadas bombas vulcânicas que têm arremessadas pelo Cumbre Vieja na atmosfera. Uma bomba vulcânica é uma forma de piroclasto de diâmetro maior que se forma quando um vulcão expele fragmentos viscosos de lava durante uma erupção.

Este é o terceiro domingo da erupção do vulcão em La Palma e, apesar de flutuações, a atividade vulcânica foi quase incessante nestas três semanas. Novos rios de lava se formaram nos últimos dias com o aumento da atividade, o que fez com que os prejuízos materiais na ilha aumentassem à medida que cresceu a área coberta por magma. Um novo fluxo de lava destruiu os poucos edifícios restantes da localidade de Todoque, a mais atingida.

A última noite foi a de maior barulho e vibrações gerados pelo vulcão em La Palma. Cientistas espanhóis publicaram em suas redes sociais vídeos mostrando o intenso ruído das explosões vulcânicas e a enorme vibração em vidros e portas dos seus alojamentos. Apesar disso, as autoridades locais informaram que não houve incidentes.

Com o aumento do fluxo de lava, enormes paredes de magma podiam ser vistas nas últimas horas avançando pelo Sul da ilha de La Palma, algumas com até dez metros de altura. Até o momento, os fluxos de lava se estendem por mais de 497 hectares e destruíram mais de 1.186 edifícios, de acordo com levantamento do Sistema Copernicus. O flanco Norte do vulcão que entrou em erupção em 19 de setembro desabou na noite de ontem, de acordo com o Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias.


O Involcan divulgou em suas redes sociais imagens do colapso. Este colapso parcial do cone do novo vulcão levou à emissão de lava em várias direções com a preocupação de que poderia se deslocar uma grande massa de lava.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas


O magma atingiu o Parque Industrial do Caminho de La Gata, agravando ainda mais os danos e prejuízos. Desde o começo da erupção se formaram nove rios de lava, dos quais os de número 7 e 8 estão ativos, além do número 1 que despeja o magma no mar em Tazacorte. Os demais pararam de avançar, um a apenas quarenta metros do oceano.

Anúncios