Anúncios

Reprodução/Governo do Estado do Rio de Janeiro

Oito dias debaixo da terra e da lama. Oito dias. E sobreviveu. O resgate de um gato com vida trouxe um sopro de esperança para a arrasada cidade de Petrópolis nesta quarta-feira. O felino que estava soterrado foi encontrado sob a lama dos deslizamentos na região da Rua Sargento Boening nada menos que oito dias após o temporal castigar a cidade serrana do Rio de Janeiro.

O animal foi salvo pelos bombeiros em meio aos escombros e lamaçal. Chega a ser difícil identificar o felino no vídeo divulgado pelo governo do estado do Rio de Janeiro, uma vez que o animal está todo coberto por lama. Desde o começo do desastre animais têm sido atendidos por voluntários e órgãos oficiais.

O número de mortos em Petrópolis em consequência do temporal que caiu na cidade da região serrana na terça-feira (15) chegou a 198. Segundo a Secretaria de Estado de Polícia Civil, 119 mulheres e 79 homens. No total, 37 são menores de idade. Até hoje de manhã 181 vítimas foram identificadas, 170 foram liberadas para as funerárias e as demais aguardam o comparecimento das famílias no Instituto Médico Legal (IML).

A equipe técnica da Polícia Civil ainda faz a análise de DNA de nove despojos, que são fragmentos de corpos, encontrados nas buscas. Até o momento, há registro de 69 desaparecidos comunicados à Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA). Hoje é o nono dia de operações do Corpo de Bombeiros na cidade imperial para encontrar desaparecidos e recuperar áreas atingidas pela chuva.

De acordo com a Defesa Civil, até o momento, houve quase 1,8 mil ocorrências por toda a cidade, principalmente nas áreas do primeiro distrito que são as mais prejudicadas. A maioria dos casos é de deslizamentos. O Morro da Oficina é considerado o epicentro do desastre em Petrópolis.

“Com reforço no efetivo, a Defesa Civil segue com a realização de vistorias globais por áreas afetadas e intensifica a realização de laudos detalhados, pontuais para cada caso. Até o momento, mais de 500 registros foram encaminhados para as equipes técnicas”, informou o órgão à Agência Brasil.

Os 13 pontos de apoio da Prefeitura acolhem 811 pessoas. Além de receber os desabrigados, a Secretaria de Assistência Social presta o suporte a pessoas que estão em locais alternativos, estruturados pelas comunidades, para receber as pessoas que precisaram sair de suas casas em áreas de risco

Anúncios