A América do Norte experimenta uma invasão de ar do Ártico que promete trazer nos próximos dias frio com intensidade rara e neve em locais pouco acostumados com o fenômeno como não se vê por décadas nos EUA. O frio chegará até o México e pode nevar junto ao Golfo do México, na região de Houston. 

Na Europa, uma onda polar trouxe hoje as menores temperaturas no Reino Unido em fevereiro desde 1955 e para qualquer mês do ano desde 1995. A Alemanha teve frio de 27ºC abaixo de zero e a maior tempestade de neve em uma década.


Este fevereiro de frio de enorme intensidade e extremo como poucas vezes se viu nas últimas décadas em parte do Hemisfério Norte é um sinal do que está vindo para nós no Hemisfério Sul durante o próximo inverno meridional?

A MetSul Meteorologia observa há muito tendência de repetição de padrões do inverno da América do Norte meses depois no inverno do Sul do Brasil. Anos de eventos muito extremos de frio em janeiro e fevereiro, de caráter histórico, acabaram tendo depois nos meses do nosso inverno também eventos de grande intensidade e marcantes no Sul do Brasil.

Casos de 1918, ano de inverno incrivelmente rigoroso nos Estados Unidos e que depois teve entre junho e julho neve na cidade de Buenos Aires e o recorde de mínima de toda a série histórica de Porto Alegre com -4ºC. Ou 1962 que foi outro ano congelante no Hemisfério Norte e após teve um inverno rigoroso no Sul do Brasil.


Chama a atenção que vários anos foram mencionados nas últimas horas em informes sobre o frio nos Estados Unidos e na Europa. Apareceram 1955, que teve uma onda de frio excepcional com recordes de temperatura mínima no Rio Grande do Sul e uma grande precipitação de neve, o ano de 1994 que foi marcado por uma grande tempestade de neve na Serra Gaúcha no mês de julho.

Enfatizamos que o clima não é linear e que o fevereiro gelado não significa a garantia que haverá uma repetição aqui de um evento de enormes proporções, mas com bases nestas tendências históricas cresce o risco de ao menos um mês do inverno de 2021 ser muito frio no Sul do Brasil e/ou com um evento de frio de grandes proporções. 

Antes mesmo do inverno, por influência do fenômeno La Niña que ainda vaia atuar nas próximas semanas, a tendência é que o frio chegue mais cedo no outono deste ano no Sul brasileiro. 

Isso representa o risco de geada forte e ampla mais cedo, com graves riscos para o milho safrinha, e a possibilidade de uma ou duas ondas de frio muito fortes durante o outono.