Anúncios

O sítio histórico que marca o local em que começaram os jogos olímpicos da Antiguidade e de onde parte a chama olímpica para os países-sede dos jogos modernos a cada quatro anos está ameaçado pelo fogo na Grécia. As autoridades gregas ordenaram aos moradores da localidade no Oeste do Peloponeso que deixassem a área pela aproximação do fogo que atinge diversos pontos do país, consumindo florestas e destruindo prédios.

Homens reúnem ovelhas para afastá-las de um incêndio que avançava em 2 de agosto em Mugla, distrito de Marmaris, na Turquia. União Europeia enviou ajuda para e voluntários se juntaram aos bombeiros na batalha de uma semana de incêndios violentos que mataram oito pessoas. A luta da Turquia contra seus incêndios florestais mais mortíferos em décadas ocorre em um momento em que uma onda de calor devastadora atinge o Sudeste da Europa, criando condições que as autoridades gregas atribuem diretamente à mudança climática. Os incêndios que devastam a Turquia desde 28 de julho destruíram enormes áreas de floresta virgem e forçaram a evacuação de turistas em pânico dos hotéis à beira-mar. | Yasin Akgul/AFP/MetSul Meteorologia

O chefe dos bombeiros local definiu o combate aos incêndios como uma tarefa “titânica”. Ele prevê que os próximos dias devem ser ainda mais difíceis com a manutenção do tempo seco e uma onda de calor extremo. Mais de dez vilarejos perto do sítio arqueológico dos jogos olímpicos antigos tiveram que ser evacuados pelos bombeiros.


“Estamos fazendo o melhor para salvar este local sagrado, mas a prioridade é salvar vidas e depois salvar a nossa história”, disse o prefeito. O local é uma das principais atrações do turismo na Grécia e recebe a visita de turistas do mundo inteiro a cada ano. A região também foi ameaçada por um incêndio no ano de 2007.

A situação continua muito grave pelo fogo também na Turquia. O governo descreveu esta onda de incêndios como a pior da história turca. Aviões da Espanha e da Croácia estão sendo enviados para a Turquia para auxiliar no enfrentamento das chamas que atingem principalmente o Oeste e o Sudoeste do país, inclusive áreas turísticas da costa, onde as pessoas tiveram que ser evacuadas até de barco com a aproximação das chamas.

Calor bate recordes na Grécia e Turquia

A violenta onda de calor que assola o Mediterrâneo desde a semana passada não para de estabelecer recordes de temperatura máxima e mínima alta. As marcas históricas estão caindo na Grécia, Turquia e Albânia com marcas em algumas localidades até acima de 45ºC.


A temperatura mínima na terça em Plakias, na ilha de Creta, foi de 35,2ºC, a mais alta mínima já registrada em agosto no continente europeu. Só que ontem outra estação de Creta, em Paleochora, indicou os mesmos 35,2ºC. As estações da ilha de Kos com 40,4ºC e Lamezia, na Itália, tiveram recordes de temperatura máxima.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Na Turquia, anteontem, a temperatura chegou a 46,5ºC. A estação de Aydin teve a maior máxima da sua série histórica com 45,1ºC. Na Grécia, os termômetros indicaram 43ºC no antigo aeroporto de Hellenikon e 47,1ºC em Langadas. A marca ficou apenas 0,1ºC da mais alta temperatura já observada em agosto na Grécia de 47,2ºC no ano de 1958 na estação de Trikala. O recorde de máxima absoluta no país é 47,5ºC.

Anúncios