Anúncios

Chicago O’Hare International Airport, com forte neve e visibilidade muito limitada, é o aeroporto mais atingido pelo ciclone bomba nos Estados Unidos | SCOTT OLSON/GETTY IMAGES/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Mais de cinco mil voos foram cancelados até o momento nos Estados Unidos devido à tempestade de inverno frustra os planos de viagem para o Natal com nevascas e intensos com frio extremo pela formação de um ciclone bomba e o deslocamento de uma poderosa frente polar ártica pelo território norte-americano.


Vários estados declararam estado de emergência, incluindo Nova York, Oklahoma, Kentucky, Geórgia e Carolina do Norte. A onda de frio violenta com condições extremas de temperatura baixa também deve atingir o Sul do Texas. Relatos de estradas cobertas de neve chegam de todo o país e a imprensa informou sobre vários acidentes.

A rodovia I-90, que atravessa o Norte dos Estados Unidos, foi fechada no estado de Dakota do Sul e as autoridades alertaram que a reabertura deve acontecer nesta sexta-feira. “Várias estradas secundárias são consideradas atualmente como ‘intransitáveis’… devido à neve profunda e aos ventos”, afirmou a Administração de Transportes de Dakota do Sul.

“Isto não é como um dia de neve quando você era criança”, disse o presidente Joe Biden aos jornalistas, em uma reunião informativa na Casa Branca sobre a situação do clima e do transporte. “Isto é algo sério”, acrescentou, pedindo que as pessoas fiquem atentas às advertências das autoridades locais.

Na quinta-feira foram cancelados mais de 5.000 voos e outros 24.000 foram adiados, segundo o rastreador FlightAware. A maioria dos cancelamentos ocorreu nos aeroportos de Chicago O’Hare ou Denver, ambos internacionais.

Em Minneapolis e Saint Paul caíram mais de 20,3 centímetros de neve no intervalo de 24 horas, informou o Serviço Nacional de Meteorologia em uma atualização na manhã de hoje. Mais a Leste, em Buffalo, Nova York, os meteorologistas disseram que se trata de uma “tempestade única em uma geração”, com rajadas de vento de mais de 105 km/h, sensação térmica de entre 10ºC e 20ºC abaixo de zero e cortes de energia dispersos ou possivelmente generalizados.

A sensação térmica deve chegar a 60ºC na região das Grandes Planícies e a Meteorologia adverte para condições intoleráveis ao ar livre com congelamento e hipotermia. Do outro lado da fronteira, o Leste do Canadá se preparava para condições similares, com fortes nevascas e temperaturas em rápido declínio. O aeroporto de Toronto, o mais movimentado do país, já sentia a crise do caos aéreo com atrasos e cancelamentos.

A tempestade coincide com um boletim da Administração de Segurança no Transporte, que afirma que o volume de viagens para as festas de fim de ano estava próximo dos níveis anteriores ao pico da pandemia com maior movimento na quinta, três dias antes do Natal.

As companhias American Airlines, Southwest Airlines e United Airlines já haviam tomado medidas para emitir isenções e permitir aos passageiros mudar seus voos sem custos adicionais. A Associação Automobilística Americana (AAA) estimou que mais de 112 milhões de pessoas farão deslocamentos entre hoje e o dia 2 de janeiro, a maioria deles em automóveis.

Anúncios