Anúncios

Moradores tiveram que ser resgatados com auxílio de botes durante inundação pela chuva intensa no município paranaense de Ponta Grossa | CORPO DE BOMBEIROS/DIVULGAÇÃO

Os volumes de chuva foram muito altos em parte do Paraná e do Nordeste de Santa Catarina entre quarta-feira e ontem, o que confirmou os alertas da MetSul de que o Centro-Sul do estado paranaense e o Nordeste catarinense registraram acumulados expressivos de precipitação no período.

De acordo com dados do Centro Nacional de Previsão de Desastres, os volumes somados em 48h até o final da quinta-feira foram no Paraná de 144 mm em Cantagalo, 140 mm em Guarapuava, 137 mm em Nova Laranjeiras, 126 mm em Prudentópolis e Irati, 120 mm em Inácio Martins, 113 mm em Cascavel e Guaraniaçu e 103 mm em Capitão Leônidas Marques. Na Região Metropolitana de Curitiba, os acumulados na esmagadora maioria dos pontos de medições ficou entre 75 mm e 100 mm.


Ponta Grossa foi uma das cidades mais atingidas pela chuva no Paraná. Conforme os bombeiros, a chuva provocou o transbordamento de um arroio, o que trouxe inundação. Moradores de três casas tiveram que ser resgatados pela corporação. Os bombeiros fizeram uso de botes para retirar as vítimas. Numa das casas atingidas pela inundação, viviam uma idosa e um deficiente visual. Os bombeiros tiveram que quebrar as paredes de madeira, já que o nível de água passou das portas e janelas. Os moradores estavam se refugiando em cima de móveis.

Em Santa Catarina, no nordeste do estado, os volumes foram menores que os registrados sobre o Paraná, mas altos em diferentes pontos com marcas em algumas localidades perto de 100 mm. Conforme as estações de monitoramento da Epagri-Ciram, os totais de chuva em 48h até o final da quinta-feira foram de 92 mm em Garuva, 86 mm em Joinville, 85 mm em Itapoá, 78 mm em Canoinhas, 74 mm em Itaiópolis e 70 mm em Rio Negrinho.

Ar mais quente avançou em direção ao sistema frontal semi-estacionário sobre o Sul do Brasil a partir do Centro-Oeste e intensificou a instabilidade ao longo da frente, trazendo a chuva mais volumosa sobre o Paraná e Santa Catarina enquanto no Rio Grande do Sul, sob domínio de uma massa de ar frio de origem polar, os índices de precipitação foram baixos e mais concentrados no Norte e no Nordeste gaúcho enquanto o tempo seguiu aberto com sol no Centro, Oeste e o Sul do Estado com frio intenso na madrugada e formação de geada.

A instabilidade diminui bastante nesta sexta sobre Santa Catarina e o Paraná, mas o tempo não firma. Os dois estados permanecem com muitas nuvens e predomínio de nublado a encoberto na maioria dos municípios, mas ocorrem aberturas de sol principalmente mais a Oeste. Segue a possibilidade de chuva fraca e garoa, especialmente em pontos das metades Leste dos dois estados.

Anúncios