Anúncios

Como se não bastasse o calor sem precedentes no mês de março e com sucessivas quebras de recordes de calor, os moradores da cidade de Buenos Aires e da região metropolitana da capital argentina que não aguentam mais as altas temperaturas enfrentam desde o final da última semana uma invasão de pequenos insetos.

Calor sem precedentes em março trouxe infestação de tripes (Caliothrips phaseoli) na cidade de Buenos Aires e outros municípios da Grande Buenos Aires | DIVULGAÇÃO

A praga de insetos que causou dores de cabeça (e coceira) em milhares de moradores fez com que muita gente acreditar que se tratassem de ácaros de pássaros ou piolhos de pombos, mas na verdade são uma praga de tripes, pequenos insetos que nos últimos dias se instalaram em todos que saem de casa.


O nome científico destes pequenos insetos pretos é Caliothrips phaseoli, popularmente conhecido como “tripes”. E embora esses insetos geralmente não sejam vistos com tanta frequência nas áreas urbanas, eles são um problema todos os anos para os setores rurais que os enfrentam todos os verões.

Trata-se de um inseto que cresce no campo e que, devido à seca e à onda de calor que atinge Buenos Aires há vários dias, acabou se mudando para a cidade e Grande Buenos Aires. Muitos os viram presentes em plantas e piscinas. Até um internauta postou um TikTok que se tornou viral no qual se vê uma piscina cheia desses “bichinhos pretos”.


Mas também foram vistos em roupas penduradas, já que a cor escura do pano úmido costuma trazê-los e alertaram sobre uma coceira que geram quando pousam na pele. Nas redes sociais, muitos argentinos exibiram o desconforto causado pela presença destes insetos, já que devido à onda de calor começaram a voar e pousar nas pessoas.

Milhares de pessoas notaram a presença de minúsculos pontos pretos na pele e na roupa e a consequente coceira, razão pela qual reclamaram da presença desses “piolhos”. Os tripes adultos são cinza escuro quase preto e têm pouco mais de 1 milímetro de comprimento.

Segundo a descrição feita pelo Sistema Nacional de Vigilância e Monitoramento de Pragas (Sinavimo), da Argentina, o inseto possui dorso da cabeça e tórax reticulados, as asas anteriores com duas áreas claras que as cruzam como faixas, e as patas são escuras. As formas larvais são de cor amarelo claro.

As fêmeas inserem ovos isolados em folhas ou outras partes da planta, onde as fêmeas se alimentam. O ciclo ovo-adulto se completa em aproximadamente duas semanas, havendo inúmeras gerações por ano. Devido ao seu tamanho e localização em partes protegidas das plantas, é difícil detectá-los; o aparecimento de pontos pretos (excrementos) nas folhas é uma indicação da presença de tripes.

Mesmo na cidade e nos subúrbios, as roupas que acabavam de ser lavadas e penduradas no varal tornavam-se uma espécie de atrator cromático e impregnavam-se de centenas de tripes. Entre as soluções para combater essa praga estão o sabão de potássio pulverizado e as armadilhas cromáticas (pedaços de plástico colorido pintados com óleo).

Calor histórico em Buenos Aires

A cidade de Buenos Aires quebrou seu recorde de temperatura máxima para o mês de março pela segunda vez neste mês ontem com 38,9ºC em meio a uma brutal e histórica onda de calor sem precedentes para esta época do ano na região.

No dia 2, a temperatura atingiu 38,0ºC na capital argentina. Foi, então, a maior marca observada em março desde o começo das medições em 1906 na cidade. A marca superou o recorde anterior de 37,9ºC de 7 de março de 1952.

Se o recorde da década de 50 permaneceu intocado por 70 anos, o recorde do dia 2 de março deste ano durou apenas dez dias. Isso porque a máxima de hoje superou a registrada dez dias atrás com a intensificação do calor no Centro da Argentina.

O Aeroporto Internacional de Ezeiza, na Grande Buenos Aires, anotou máxima ontem de 39,6ºC. Na sexta, a máxima de Ezeiza foi de 39,4ºC. Foi quando pela terceira vez neste mês caiu o recorde de temperatura máxima na estação para março. O recorde de março já havia sido quebrado no dia 1º com 38,1ºC e no dia 2 com 39,1ºC.

O que ocorre no Centro da Argentina é muitíssimo fora da curva histórica. A temperatura máxima no Norte da província de Buenos Aires, incluindo a capital federal, está entre 8ºC e 10ºC acima do normal neste mês até agora. Para colocar em contexto, um período de dez dias 4ºC a 5ºC mais quente do que a média já é muito, mas 8ºC a 10ºC de anomalia positiva é algo extraordinário.

Mesmo inseto no Rio Grande do Sul e Santa Catarina

No dia 5 de fevereiro, este mesmo tipo de inseto invadiu a praia de Torres, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. O Laboratório Central do Estado (LACEN/RS) analisou as amostras e confirmou após três dias a natureza do minúsculo inseto.

PREFEITURA DE TORRES

O diretor da Vigilância em Saúde e biólogo Lasier França, afirmou que não se trata de pulgas e nem de maruins, e sim, do inseto conhecido por “tripes”, da ordem Thysanoptera. Este inseto é muito comum em plantações (pragas).

A estiagem e a baixa umidade naquele começo de mês, quando o Rio Grande do Sul enfrentava uma onda de calor, colaboraram para a invasão dos insetos em Torres. Com o baixo volume de chuva, houve a eclosão de muitos ovos e a rápida infestação destes insetos. Os insetos foram vistos ainda em Passo de Torres e em Balneário Gaivota, no Sul de Santa Catarina.

Anúncios