Primeira semana de julho em Porto Alegre alternará dias de sol com outros de maior nebulosidade e chuva com elevação da temperatura e algumas tardes abafadas | BRAYAN MARTINS/PMPA

Um bloqueio atmosférico será o grande protagonista das condições meteorológicas na primeira semana de julho no Sul do Brasil. A grande massa de ar seco e quente que cobre a maior parte do Brasil vai se intensificar e se expandir. O resultado será temperatura acima a muito acima da média histórica de julho na região assim como chuva limitada no Sul do país com excessos em algumas áreas e escassez absoluta em outras.

O sol predomina no Sul do Brasil neste primeiro dia de julho que marca o começo do segundo semestre. Mais uma vez são esperados amplos períodos de céu claro. No Oeste e no Sul gaúcho haverá a passagem de nebulosidade e, no caso do Sul do Rio Grande do Sul, não se descarta até chuva isolada.

O tempo aberto da madrugada desta sexta novamente favorece maior resfriamento com o ar seco e vento fraco a calmo. O dia começa frio em todas as regiões gaúchas e catarinenses e com geada em algumas cidades, embora as mínimas mais altas que ontem na maioria das cidades. Já a tarde será muito agradável com máximas ao redor ou acima de 20ºC na maior parte dos municípios do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

O frio cedo da manhã, entretanto, não vai ser a marca desta primeira semana de julho. Com a expansão da massa de ar seco, ar mais quente ingressará no Sul do Brasil trazidos por correntes de jato em baixos níveis da atmosfera. Alguns dias da próxima semana serão quentes para esta época do ano, especialmente entre a Metade Norte gaúcha e o Paraná.

Vai esquentar tanto em alguns dias na semana que vem que é possível que algumas cidades do Rio Grande do Sul tenham máximas perto ou na casa dos 30ºC, principalmente no Noroeste. Idêntico cenário se prevê para o Oeste de Santa Catarina. No Sul gaúcho, maior nebulosidade e chuva frequente inibirá aquecimento mais pronunciado.

Porto Alegre, como vai estar na zona limite das áreas com e sem chuva, vai ter algumas tardes abafadas, mas previsões de máximas precisas somente mais a curto prazo porque dependendo da posição da nebulosidade, por poucos quilômetros, as máximas podem se elevar muito mais do que hoje sinalizado por modelos numéricos.

A chuva, aliás, vai observar um padrão típico de bloqueios atmosféricos atuando no Sul do Brasil. Veja no mapa abaixo a projeção de chuva para os próximos sete dias do modelo meteorológico alemão Icon, disponível ao assinante na seção de mapas.

O desenho da chuva no Sul do Brasil é clássico de bloqueios atmosféricos. O Rio Grande do Sul vai estar entre uma massa de ar frio ao Sul sobre a Argentina e a grande massa de ar seco e mais quente do Brasil. A instabilidade ficará retida no território gaúcho, atingindo principalmente o Sul, parte do Oeste e o Centro do estado. Mais ao Norte gaúcho, Santa Catarina e Paraná o tempo seco deverá predominar com altas temperaturas.

Justamente por esse cenário se espera que os maiores volumes de chuva nesta primeira semana de julho se concentrem sobre a Metade Sul gaúcho, inclusive com acumulados de 50 mm a 75 mm em algumas cidades. A chuva será frequente no Sul do Rio Grande do Sul nestes primeiros dias de julho, embora ocorram momentos de melhoria com aberturas de sol e elevação da temperatura.