Nova regra sobre emissões no mercado de ações causa controvérsia nos Estados Unidos | SPENCER PLATT/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

As mudanças climáticas chegaram a Wall Street. Empresas listadas em bolsa de valores nos Estados Unidos responsáveis por emissões significativas de gases de efeito estufa serão obrigadas a relatar e abordar riscos climáticos pela primeira vez, de acordo com uma nova regra promulgada na quarta-feira pelos reguladores de valores mobiliários.

A regra, que se espera que seja contestada legalmente, visa atender às demandas dos investidores de padronizar a divulgação de riscos relacionados às mudanças climáticas e à resposta corporativa, segundo apoiadores como o presidente da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC), Gary Gensler.

A regra exige a divulgação das emissões de Escopo 1 e Escopo 2 – que cobrem emissões diretas e aquelas para energia adquirida para operações – quando essas emissões são “relevantes” ou significativas (leia aqui o comunicado da SEC dos Estados Unidos).


Uma versão anterior da regra também abrangia as emissões do Escopo 3 – que representam emissões indiretas, como quando os clientes as utilizam – mas essa disposição foi retirada à medida que a proposta avançava pelo processo regulatório. Em uma reunião pública na quarta-feira, Gensler disse que a proposta havia gerado cerca de 24.000 comentários públicos após um lançamento inicial em março de 2022.

A medida também exige que as empresas divulguem: os potenciais riscos relacionados ao clima na estratégia corporativa; uma contabilidade detalhada das medidas tomadas para mitigar o risco climático; supervisão do risco climático pelo conselho da empresa; e informações sobre metas ou objetivos relacionados ao clima.

Durante uma reunião pública, a comissária da SEC, Caroline Crenshaw, que se juntou à maioria de 3-2 na aprovação da medida, lamentou a decisão de deixar de fora as emissões do Escopo 3, consideradas uma parte grande e importante da pegada climática de uma empresa.


No entanto, os dois comissários republicanos da SEC descreveram a medida aprovada como ainda excessivamente onerosa e confusa para os investidores de Wall Street. “Nem um centavo gasto pelas empresas em conformidade resultará em reduções reais de emissões”, disse o comissário da SEC, Mark Uyeda. “E os acionistas estarão pagando por isso”, protestou.

A MetSul Meteorologia está nos canais do WhatsApp. Inscreva-se aqui para ter acesso ao canal no aplicativo de mensagens e receber as previsões, alertas e informações sobre o que de mais importante ocorre no tempo e clima do Brasil e no mundo, com dados e informações exclusivos do nosso time de meteorologistas.