Anúncios

Chegada da frente fria na manhã de hoje na fronteira com o Uruguai registrada a partir de Livramento | FABIAN RIBEIRO

A MetSul Meteorologia adverte para uma nova rodada de chuva forte e temporais em parte do Rio Grande do Sul. A frente fria que foi responsável por temporais violentos nos países do Prata chegou hoje ao Oeste e ao Sul gaúcho e trouxe acentuado declínio da temperatura enquanto a maior parte do território gaúcho amargava um dia com característica de verão.


A frente fria chegou ao Sul gaúcho e à fronteira com o Uruguai com aumento de nebulosidade, chuva e garoa, além de fortes rajadas de vento em alguns municípios. Bagé saiu em uma hora de 28,2ºC para 17,0ºC com vento de 88 km/h. No meio da tarde, várias cidades da região anotavam entre 15ºC e 17ºC.  Canguçu teve 75 km/h.

O ar quente e a aproximação de uma frente fria geram áreas de instabilidade isoladas nesta noite com  chuva localizada em pontos do Centro do Estado em direção à Lagoa dos Patos e não se pode afastar que um núcleo isolado alcance a área de Porto Alegre no decorrer das próximas horas.

Mas vai ser no Oeste e no Sul do Rio Grande do Sul que o cenário será de maior risco durante esta quinta-feira à medida que a frente fria na região vai retomar atividade com a aproximação de ar mais frio a partir do Sul, o que vai formar nuvens carregadas no Uruguai e depois nas áreas mais próximas do país vizinho aqui no Estado.

Fortes a intensas áreas de instabilidade se formam no Uruguai, no Oeste e no Sul do Rio Grande do Sul na madrugada e de manhã nesta quinta com a frente fria voltando a ganhar força. Há risco de chuva localmente forte a torrencial e de temporais localizados de vento e granizo.

No decorrer do dia, a frente avançará para Norte e muda o tempo em cidades que começarão a manhã de quinta com sol, nuvens, vento Norte e abafamento na Metade Norte. À medida que o sistema frontal se desloca pelo Estado ao longo da quinta gradualmente enfraquecerá a frente fria e qualquer ocorrência de chuva forte ou de temporal será mais isolada na Metade Norte. O risco maior mesmo será para o Oeste e o Sul, e intermediário no Centro do Estado.

Veja na sequência de mapas a projeção de chuva para as próximas 24 horas do modelo europeu, disponível ao assinante na seção de mapas, e atente como a instabilidade vai retomar força no Oeste e no Sul com muita chuva em alguns pontos para depois enfraquecer à medida que avança para Norte pelo Rio Grande do Sul.

Os modelos meteorológicos alemão Icon e o de alta resolução WRF possuem sinalização muito semelhante quanto aos volumes de chuva, indicando os maiores acumulados para o Sul gaúcho, especialmente entre a Campanha (região de Bagé) e a região das lagoas na parte meridional do Estado.

Assim, alertamos que os volumes de chuva em pontos do Oeste e do Sul do Estado nesta quinta vão ser altos, especialmente mais ao Sul. Em alguns municípios, a chuva somente desta quinta vai superar os 100 mm e não podem ser afastados acumulados isolados próximos ou acima de 150 mm. Com isso, podem ocorrer alagamentos e subida de arroios e córregos.

A nova intensificação da instabilidade no Oeste gaúcho preocupa porque a região enfrenta enchente com centenas de desabrigados na fronteira de Quaraí e Artigas pela cheia do Rio Quaraí. O Rio Ibirapuitã também enfrenta cheia em Alegrete.

De acordo com dados de estações de monitoramento do Instituto Nacional de Meteorologia e do Centro Nacional de Previsão de Desastres, os acumulados foram de 200 mm em Quaraí e 150 mm em Livramento e Rosário do Sul apenas na segunda-feira. A MetSul advertiu que a instabilidade desta semana poderia trazer enchentes na região em seus vários boletins.

Anúncios