Anúncios

O final da terça-feira e as primeiras horas de hoje foram marcados por temporais com forte intensidade no Rio Grande do Sul. Diversas cidades tiveram vendavais e estragos, sobretudo na Serra e nos vales. As imagens dos estragos sugerem vento muito acima de 100 km/h em alguns pontos.

Carlos Fernando Jung

Em Teutônia, por exemplo, estação meteorológica particular indicou rajada de 142 km/h. Já estações do Instituto Nacional de Meteorologia apontaram 91 km/h em Santo Augusto, 87 km/h em Soledade, 86 km/h em Tupanciretã, 76 km/h em Bento Gonçalves, e 72 km/h em São Luiz Gonzaga.


No começo da madrugada de hoje, analisando imagens de radar meteorológico, a MetSul Meteorologia alertava nas suas redes sociais sobre possível tornado no interior de São Marcos a partir da observação de um eco em gancho, assinatura típica de um tornado, na região.

E foi o que ocorreu. Tornado deixou um rastro de destruição em áreas rurais entre São Marcos e Flores da Cunha, chegando a decepar árvores (foto). Houve muitos estragos em propriedades rurais e destruição de lavouras.

 

Prefeituras de São Marcos e Flores da Cunha

O granizo também fez estragos. Muitas cidades da Serra e dos Aparados tiveram grandes danos na fruticultura devido às pedras de gelo. Um dos municípios mais afetados foi Campestre da Serra, onde uma centena de casas foi destelhada.

Rádio Fátima

E choveu muito no Noroeste e no Norte do Estado com volumes entre 70 e 100 mm em várias localidades, como era previsto. No Noroeste, algumas cidades acumularam mais de 100 mm. Os temporais avançaram com força ao longo do dia para Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Na capital paulista, o fim de tarde foi de tempestade e queda de árvores.


A intensa instabilidade decorreu de uma frente fria que se organizou a partir de um centro de baixa pressão numa atmosfera quente que favoreceu a formação de nuvens muito carregadas.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

 

Anúncios