Anúncios

PRF-SC

Com o estado de Santa Catarina sofrendo com enchentes, inundações, alagamentos, quedas de barreiras e deslizamentos de terra desde o começo da semana por um evento excepcional de chuva excessiva, muitos catarinenses têm se questionado até quando vai chover e se haverá uma trégua da instabilidade.

Esta, entretanto, não é uma dúvida de todos os moradores de Santa Catarina. A chuva extrema se concentrou mais a Leste e o Nordeste do estado enquanto com marcas de até 600 mm a 700 mm em menos de uma semana enquanto mais a Oeste o que se necessita é justamente o contrário do que o Leste catarinense não deseja: chover.


Muitos municípios do Oeste e do Meio-Oeste catarinense tiveram chuva inferior a 10 mm nos últimos sete dias e nos locais em que mais choveu nestas áreas de Santa Catarina, em regra, as precipitações somaram entre 10 mm e 30 mm. Realidade muito distinta das localidades com acumulados tão altos quanto 300 mm a 600 mm do Leste e do Nordeste catarinense.

Os volumes desde o início da semana até o final da manhã desta quinta atingiam nas zonas mais atingidas pela chuva extrema no Nordeste catarinense totais de 653 mm em Schroeder e de 453 mm em Joinville. Corupá teve 280 mm e São Bento do Sul 272 mm.


Na Grande Florianópolis, os acumulados desta semana até o fim da manhã desta quinta eram de 645 mm em Santo Amaro da Imperatriz, 485 mm em Antonio Carlos, 472 mm em Rancho Queimado, 420 mm em São João Batista, 403 mm em Águas Mornas, 381 mm em Florianópolis (ilha) e 377 mm em Palhoça,

Já no Sul de Santa Catarina os acumulados eram de 295 mm em Tubarão, 284 mm em Gravatal, 230 mm em Timbé do Sul e 212 mm em Siderópolis. No Morro da Igreja, no Planalto Sul, a estação anotou 540 mm.

Boas e más notícias sobre a chuva em Santa Catarina

Há boas e más notícias para os catarinenses. O pior do evento extremo de chuva que se iniciou no começo da semana está chegando ao fim, o que é uma excelente notícia. A má é que o tempo não vai firmar em definitivo e vai voltar a chover com maior intensidade, embora sem os volumes extremos desta semana.

O tempo ainda não firma nesta quinta e haverá ainda períodos de chuva, mas a tendência com o passar das horas é que a precipitação diminua na maioria das cidades e até pare em algumas. Ocorre que da tarde para a noite, por ar quente e úmido, podem se formar núcleos isolados de tempestade do Meio-Oeste para o Leste catarinense com chuva localmente torrencial e risco de temporais.

Nos próximos dias, o sol aparece com nuvens na maioria das áreas afetadas por inundações, embora ainda possa ocorrer chuva isolada e passageira com temporais localizados pelo ar tropical quente e úmido. Não se espera mais, entretanto, chuva de natureza orográfica (pelo relevo) que foi a responsável pelos acumulados extremos desta semana no Leste e Nordeste de Santa Catarina.

Os mapas acima mostram os acumulados de chuva dia a dia projetados pelo modelo alemão Icon, disponível ao assinante no site da MetSul. Como se observa, a tendência é que o tempo não firme e a chuva se alterne com períodos de sol e nuvens nos próximos dias, atingindo todas as regiões do estado, mas sem os volumes de chuva tão extremos dos últimos dias.

 Chuva volta a se intensificar no começo da semana

Os dados analisados pela MetSul Meteorologia indicam que a chuva deve se intensificar em Santa Catarina, em algumas das áreas mais castigadas, neste fim de semana. O modelo europeu projeta menor chance de chuva na área de Joinville nesta sexta com melhoria, mas no fim de semana e no começo da semana haverá pancadas no Nordeste catarinense que serão localmente fortes a torrenciais. Entre domingo e terça a chuva seria mais expressiva na região de Joinville e localmente volumosa.

O mapa acima mostra a projeção de chuva para sete dias do modelo alemão Icon. Como se vê, a chuva será generalizada em Santa Catarina e com volumes acima de 100 mm em alguns pontos, mas sem os acumulados extremos dos últimos dias.

Para a região de Florianópolis, a perspectiva é de grande diminuição da instabilidade. A sexta e o fim de semana terão sol e nuvens com períodos de nublado a encoberto, mantendo-se a possibilidade de chuva em alguns momentos, mas sem acumulados extremos. A chuva volta a se intensificar na Grande Florianópolis e na capital entre segunda e quarta da semana que vem.

No geral, a chuva na soma dos próximos dez dias em Santa Catarina deve ser ampla e com altos volumes em algumas regiões. O mapa acima mostra a projeção de chuva do modelo canadense para dez dias com acumulados perto ou acima de 100 mm em grande parte do estado e marcas acima de 100 mm em diferentes pontos.

Com ar quente e úmido hoje e nos próximos dias, as condições serão favoráveis à ocorrência de episódios isolados de chuva forte a torrencial com elevados volumes em curto intervalo, o que vai ocorrer acompanhando nuvens localizadas de grande desenvolvimento vertical e típicas de tempestade.

Anúncios