Anúncios

Bairros junto à BR-101 inundados no município de Palhoça na madrugada de hoje | REDE SOCIAIS

A chuva não para de castigar Santa Catarina. A região mais castigada desde ontem no território catarinense é a Grande Florianópolis depois que no começo da semana os volumes mais altos se concentraram mais ao Norte do estado e perto da divisa com o Paraná. Como vinha sendo alertado pela MetSul por dias, na metade desta semana a chuva se intensificaria muito na área de Florianópolis.


A região da Grande Florianópolis começou a ter períodos de chuva torrencial com elevados volumes em curto período e alagamentos ainda durante o dia na quarta-feira, mas a situação piorou muito a partir da noite, quando os acumulados de precipitação aumentaram ainda mais com inundações generalizadas e caos nas ruas e rodovias.

Uma das cidades mais atingidas é Palhoça, que decretou situação de emergência. A Prefeitura solicitou vistoria na BR-101 à concessionária Arteris depois que a rodovia foi bloqueada por alagamentos nos dois sentidos. Há pontos intransitáveis em Palhoça devido à altura das águas e bombeiros percorriam alguns bairros na madrugada desta quinta-feira se valendo de barcos.

A Prefeitura de Palhoça instalou uma sala de situação para enfrentar a crise da chuva. A sala terá a função de monitorar, planejar e executar ações para minimizar os efeitos da situação de emergência e reúne Defesa Civil, a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros, a Guarda Municipal e as secretarias de Serviços Públicos, Habitação e Assistência Social.

Ainda na Grande Florianópolis, uma mulher foi resgatada com auxílio de um helicóptero na tarde da quarta-feira em meio à enchente que atinge o município de São Pedro de Alcântara. A vítima estava agarrada a um ponto de ônibus após o carro em que estava ter sido arrastado pela correnteza. Quando encontrada, a mulher de 42 anos estava com parte do corpo abaixo do nível da água e só foi localizada após acenar para a aeronave.

CBMSC

Moradores do bairro Fernandes, em São João Batista, na Grande Florianópolis, estão ilhados após uma das pontes de acesso à localidade ter a cabeceira destruída e ficar submersa pela água. Segundo a Defesa Civil do município, moradores relataram que outra ponte, que dá acesso ao bairro e faz a ligação com o centro da cidade, foi levada pela correnteza.

Na capital, as ruas de Florianópolis estavam caóticas na noite de quarta-feira e nas primeiras horas desta quinta-feira. Os alagamentos atingem diversos pontos da capital catarinense, no continente e na ilha. Novo Campeche, Centro, Córrego Grande e Ingleses estão embaixo d’água.

A Ponte Pedro Ivo Campos ficou parcialmente alagada. Até o momento, segundo a Guarda Municipal de Florianópolis, o trânsito flui no local. As águas invadiram edifícios e casas em diferentes bairros de Florianópolis.

Aulas suspensas devido à chuva

A chuva persistente e com altos volumes que provoca alagamentos e inundações resultou na suspensão de aulas na capital catarinense e em municípios da Grande Florianópolis nesta quinta-feira. A suspensão atinge tanto escolas como universidades.

A UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) comunicou no final da quarta-feira que as aulas foram suspensas no campus de Florianópolis no período da manhã desta quinta. A rede municipal de ensino de Florianópolis também teve as aulas suspensas por decisão do prefeito da cidade.

A situação se repete em diversos municípios da Grande Florianópolis que igualmente foram obrigados a cancelar as aulas nas escolas. Prefeituras de municípios como Palhoça e São José também decidiram pela suspensão das aulas.

BR-101 bloqueada na Grande Florianópolis

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) interditou o trecho da BR-101, no Morro dos Cavalos, em Palhoça, na noite da quarta-feira, devido à possibilidade de deslizamento de terra e ao grande volume de água sobre a pista, complicando ainda mais a situação já crítica das rodovias de Santa Catarina com o episódio de chuva desta semana.

O trânsito de veículos está interrompido no sentido Sul, a partir do quilômetro 229 e no sentido Norte, a partir do elevado localizado no acesso à região da Praia da Pinheira. O fechamento aconteceu após o prefeito de Palhoça solicitar a interdição para a concessionária Arteris – Autopista Litoral Sul e para a Polícia Rodoviária Federal.

Vários municípios em emergência

Diversas cidades catarinenses já decretaram situação de emergência devido às fortes chuvas que castigam o estado desde o começo da semana. Conforme a última parcial da Defesa Civil, Araquari, Joinville, São Bento do Sul, Luiz Alves, Corupá, Guaramirim, Rio dos Cedros, Campo Alegre e Santo Amaro da Imperatriz já haviam emitido decreto.

Nas últimas horas outros municípios, da Grande Florianópolis, também decretaram emergência: Antonio Carlos, São José e Palhoça, que ainda não constam nos relatórios da Defesa Civil, mas devem ser incluídos nas próximas horas. Conforme o órgão, os municípios de Timbó, Rancho Queimado e Schroeder estão providenciando documentos para também decretar emergência.

Volumes extremos de chuva

A chuva acumulada apenas nas últimas 24 horas até o meio da madrugada desta quinta-feira na região da Grande Florianópolis atingia 314 mm em Santo Amaro da Imperatriz, 198 mm em Florianópolis (ilha), 175 mm em Rancho Queimado, 174 mm em Antonio Carlos, 162 mm em Águas Mornas e 145 mm em São João Batista.

Desde o começo da semana, a chuva somada na Grande Florianópolis alcança 571 mm em Santo Amaro da Imperatriz, 447 mm em Rancho Queimado, 422 mm em Antonio Carlos, 403 mm em Águas Mornas, 381 mm em Florianópolis (ilha), 377 mm em Palhoça e 328 mm em São João Batista.

Previsão de menos chuva

O pior do episódio de chuva está chegando ao fim. O tempo ainda não firma nesta quinta e haverá ainda períodos de chuva, mas a tendência com o passar das horas é que a precipitação diminua na maioria das cidades e até pare em algumas. Ocorre que da tarde para a noite, por ar quente e úmido, podem se formar núcleos isolados de tempestade do Meio-Oeste para o Leste catarinense com chuva localmente torrencial e risco de temporais.

Nos próximos dias, o sol aparece com nuvens na maioria das áreas afetadas por inundações, embora ainda possa ocorrer chuva isolada e passageira com temporais localizados pelo ar tropical quente e úmido. Não se espera mais, entretanto, chuva de natureza orográfica (pelo relevo) que foi a responsável pelos acumulados extremos desta semana no Leste e Nordeste de Santa Catarina.

Anúncios