Anúncios

Um menino bebe água de um cano na usina de abastecimento de água durante a onda de calor na cidade paquistanesa de Jacobabad, no Sul da província de Sindh, onde ontem a máxima chegou a 50,0ºC no primeiro registro oficial de temperatura de 50ºC de 2022 no Hemisfério Norte | AAMIR QURESHI/AFP/METSUL METEOROLOGIA

A temperatura atingiu 50ºC pela primeira vez neste ano no Hemisfério Norte em meio a uma onde calor extremo que castiga o Sul da Ásia. Autoridades alertam sobre a escassez aguda de água e uma ameaça à saúde. Partes do Paquistão e da vizinha Índia têm sido duramente castigadas por altíssimas temperaturas desde abril em condições meteorológicas extremas que a Organização Meteorológica Mundial alertou ser consistente com as mudanças climáticas.

Ontem, a cidade de Jacobabad, situada na província de Sindh, no Paquistão, atingiu uma máxima de 50,0°C, informou o Departamento Meteorológico do Paquistão (PMD). A previsão é que as temperaturas sigam extremas até este domingo com possibilidade de marcas ainda mais altas. Neste sábado, Jacobabad voltou a ter máximas na casa dos 50ºC com 51,0ºC, a mais alta medida no planeta até agora neste ano, superando os 50,7ºC observados na Austrália no verão. Na Índia, várias cidades tiveram recordes mensais ou absolutos de calor neste sábado com até 48,8ºC em Banda.


“É como fogo queimando ao redor”, disse à agência AFP o trabalhador Shafi Mohammad, morador de vilarejo nos arredores de Jacobabad, onde os moradores lutam para encontrar acesso confiável à água potável. Em todo o país, o PMD alertou que as temperaturas estavam entre 6°C e 9°C acima do normal, com a capital Islamabad – assim como os centros provinciais de Karachi, Lahore e Peshawar – registrando temperaturas em torno de 40°C na sexta-feira.

“Este ano pulamos do inverno para o verão”, disse o chefe de previsão do PMD, Zaheer Ahmad Babar, referindo à ausência de temperaturas moderadas que ocorrem na primavera. Desde o mês de março a temperatura tem ficado constantemente acima ou muito acima do normal no país. “A intensidade das ondas de calor está aumentando, estão mais longas e a frequência igual está em aumento”, disse ele à AFP.


A enfermeira de Jacobabad, Bashir Ahmed, relatou que nos últimos seis anos os casos de insolação na cidade foram diagnosticados já começaram em maio, em vez de junho ou julho que é o período costumeiro. “Isso está apenas aumentando”, disse.

‘Proteja-se’

O porta-voz do setor de irrigação da província de Punjab, Adnan Hassan, disse que o rio Indus – a principal via fluvial do Paquistão – diminuiu sua vazão em 65% “devido à falta de chuvas e neve” este ano. Ovelhas morreram de insolação e desidratação no deserto de Cholistan de Punjab, a província mais populosa do Paquistão, que também serve como celeiro nacional.

“Existe um perigo real de um déficit no abastecimento de alimentos e colheitas este ano no país, caso a escassez de água persista”, disse Hassan. A ministra do Clima do Paquistão, Sherry Rehman, alertou nesta semana os moradores da megacidade de Lahore “para se protegerem nas horas mais quentes do dia”.

A onda de calor também castiga duramente a Índia, com temperaturas em partes do Rajastão atingindo 48,1°C na quinta-feira e espera-se que atinjam 46°C em Delhi a qualquer momento a partir de domingo. Suman Kumari, 19, estudante que mora no Noroeste de Delhi, disse à AFP: “Estava tão quente hoje que me senti exausto e doente ao voltar da faculdade em um ônibus. O ônibus parecia um forno. Sem ar condicionado, era escaldante por dentro”, disse ela.

A maioria das escolas declarou férias de verão a partir de segunda-feira para as classes infantis. Veterinários se espantaram com aves caindo do céu devido ao calor. Há alerta de calor extremo também em partes do Noroeste da Índia, incluindo as áreas de Rajasthan, Madhya Pradesh, Maharashtra e Uttar Pradesh que abrigam coletivamente centenas de milhões de pessoas. Espera-se algum alívio quando a monção com chuva do Sudoeste fizer seu avanço no mar de Andaman e na vizinha Baía de Bengala por volta de 15 de maio, disse o Departamento Meteorológico da Índia.

À medida que as quedas de energia agravam as ondas de calor, a Índia planeja arrendar minas de carvão abandonadas para empresas de mineração privadas, disse uma autoridade do governo na sexta-feira, em um esforço para aumentar a produção. O Paquistão também enfrentou graves quedas de energia, com algumas áreas rurais recebendo apenas seis horas de eletricidade por dia.

Rápido derretimento das geleiras

O Paquistão diz que é responsável por menos de um por cento das emissões globais de gases de efeito estufa, mas é o oitavo país mais afetado por eventos climáticos extremos, de acordo com um estudo de 2021 do grupo ambientalista Germanwatch. O calor extremo também pode desencadear desastres em cascata que podem atingir a população geralmente empobrecida do Paquistão.

As porções montanhosas do país abrigam mais de 7.000 geleiras, um número maior do que qualquer região fora dos pólos. Geleiras de derretimento rápido podem elevar lagos, que então rompem suas margens e liberam torrentes de gelo, rocha e água em eventos conhecidos como inundações de lagos glaciais.

No fim de semana passado, importante ponte rodoviária na região de Gilgit-Baltistão foi varrida por inundações repentinas causadas pelo derretimento das geleiras. Em abril, autoridades alertaram que havia 33 lagos no Paquistão em perigo de desencadear inundações perigosas semelhantes.

Anúncios