Anúncios

Macaco senta-se em uma rocha depois de nadar em um lago durante um dia de calor extremo na cidade indiana de Allahabad que vem sofrendo há semanas com a temperatura alta que em alguns dias se aproxima dos 50ºC na Índia| SANJAY KANOJIA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

A onda de calor opressivo que castiga a Índia forçou quase todos a encontrar maneiras de se proteger contra as temperaturas extremas. Assim como os seres humanos, os animais também tentam vencer o calor e muitos não resistem às marcas que se aproximam dos 50ºC com a onda de calor prolongada que já dura semanas. Aves estão caindo do céu com a temperatura alta e elefantes buscam refúgios na sombra e banhados em busca de refresco.

Equipes de resgate de animais no estado de Gujarat, no Oeste da Índia, estão recolhendo dezenas de pássaros exaustos e desidratados caindo todos os dias enquanto uma onda de calor escaldante seca as fontes de água na maior cidade do estado, dizem médicos veterinários e socorristas de animais.


Profissionais de hospital veterinário administrado pela organização sem fins lucrativos Jivdaya Charitable Trust em Ahmedabad disseram que trataram milhares de pássaros pelo calor durante as últimas semanas, acrescentando que os socorristas trazem dezenas de aves enfermas pelo calor todos os dias.

“Este ano foi um dos piores dos últimos tempos. Vimos um aumento de 10% no número de aves que precisam ser resgatadas”, disse Manoj Bhavsar, que trabalha com resgate de aves há mais de uma década. Veterinários têm alimentado pássaros com comprimidos multivitamínicos e injetado água em suas bocas usando seringas.


Autoridades de saúde em Gujarat emitiram avisos aos hospitais para criar enfermarias especiais para insolação e outras doenças relacionadas ao calor devido ao aumento das temperaturas. O início precoce do verão trouxe temperaturas recordes e tornou a vida uma miséria para humanos e animais, com especialistas alertando que as mudanças climáticas estão tornando essas condições mais intensas e frequentes.

Somente uma clínica veterinária em Ahmedabad tratou cerca de 2.000 pássaros em abril, muitos fracos e severamente desidratados, com alguns sofrendo de asas quebradas após cair de árvores. O calor infernal coincidiu com o fim da época de reprodução de algumas espécies de aves, alguns filhotes e vulneráveis.

Veterinário trata um papagaio com desidratação em um dia de calor excepcional no Jivdaya Charitable Trust em Ahmedabad | SAM PANTHAKY/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Aqueles que se recuperam são mantidos em um aviário até que estejam prontos para serem soltos na natureza, enquanto outros que foram severamente incapacitados por seus ferimentos são enviados para zoológicos ou instituições educacionais.

O aumento da temperatura forçou répteis e outros animais selvagens a se aventurar fora de seu habitat natural para procurar lugares mais frescos. As espécies mais afetadas são as cobras, pois são incapazes de autorregular sua temperatura se ficar muito quente e são forçadas a procurar lugares mais frios durante o dia.

Kartick Satyanarayan, cofundador e CEO da Wildlife SOS, diz que “as cobras são animais de sangue frio, então sua temperatura corporal varia com a do ambiente. Eles são incapazes de autorregular sua temperatura se ficar muito quente e são forçados a procurar lugares mais frios durante o dia”, explicou.

Um trabalhador se esforça para recuperar uma zebra que supostamente desmaiou pelo calor extremo no Parque Zoológico Arignar Anna, em Chennai | ARUN SANKAR /AFP/METSUL METEOROLOGIA

Um elefante toma banho sob o calor extremo no Parque Zoológico Arignar Anna, em Chennai | ARUN SANKAR/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Um vídeo compartilhado por um oficial do Serviço Florestal Indiano (IFS) mostrando como os elefantes enfrentam o calor viralizou na internet indiana. No vídeo de 30 segundos, um grupo de elefantes se reúne perto do que parece ser um pequeno lago. Os animais, tanto filhotes quanto adultos, estão cobertos de lama e batendo as orelhas a fim de esfriar seus corpos.

O oficial da IFS, Parveen Kaswan, que gravou o vídeo, explicou que se trata de comportamento normal diante de tanto calor. “Estão chafurdando. Elefantes adoram fazer isso. Isso os mantém frescos. Os elefantes não têm glândulas sudoríparas, mas têm uma alta proporção de volume e área de superfície e, portanto, o calor os castiga. Portanto, a dissipação de calor dessa maneira ou batendo as orelhas é muito importante”, descreveu.

Em toda a Índia, o calor extremo tem forçado agricultores, trabalhadores da construção civil e estudantes a reorganizar suas vidas, mostrando como as rotinas diárias estão mudando e a produtividade do trabalho está diminuindo em países que já estão entre os mais pobres e mais quentes do mundo.

Nas últimas semanas, autoridades educacionais de nove estados reduziram a duração das aulas pela metade para que os alunos possam ser dispensados às 11h. Alguns terminaram o ano letivo mais cedo. Os administradores de grandes programas de emprego rural administrados pelo governo exigiram que os trabalhadores que cavavam canais e valas parassem antes do meio-dia.

O Ministério da Saúde emitiu um aviso no mês passado a todos os empregadores exigindo que instalem abrigos temporários e limitem as horas para novos trabalhadores. Os cidadãos foram orientados a ficar em casa do meio-dia às 15h. e aprender sobre os sintomas de estresse por calor. Os hospitais do país foram recentemente obrigados a revisar seus estoques de soros intravenosos, bolsas de gelo e sais de reidratação oral.

Anúncios