Anúncios

Temporal atingiu Porto Alegre às 16h deste domingo e trouxe volumes altos de chuva em parte da cidade | ANA PAULA OLLÉ PONS

A chuva atingiu toda a Grande Porto Alegre neste fim de semana com pancadas e temporal na tarde do sábado e novas precipitações observadas na manhã e tarde deste domingo que seguem nesta noite. Choveu muito em pontos da área metropolitana, mas as precipitações volumosas não foram generalizadas e em parte da região os acumulados até o momento são baixos.

A MetSul já vinha alertando que a instabilidade teria enorme variabilidade de volumes entre diferentes pontos de uma mesma região e dentro de uma mesma cidade. O motivo é que a chuva tem natureza convectiva, ocorre por ar quente e úmido, que forma nuvens carregadas que despejam volumes elevados de precipitação em alguns setores e pouco em locais perto.


No sábado, por exemplo, alguns bairros de Gravataí, como Morada do Vale, tiveram quase 50 mm ou a metade da média de chuva do mês em uma hora no temporal que veio com vento e granizo, mas houve locais da Grande Porto Alegre em que sequer choveu. Neste domingo, o cenário se repetiu com intensa precipitação em bairros mais centrais de Porto Alegre e pouca chuva em Canoas.

Em Porto Alegre, até o começo da noite deste domingo, a precipitação deste fim de semana somava 50 mm no Centro, mas na maioria dos bairros variava entre 20 mm e 40 mm. Os dados computados até 20h apontaram 51 mm no Centro, 49 mm na Cidade Baixa, 43 mm na Restinga e 40 mm em Belém Velho. Na zona Norte, em bairros como São João e Navegantes, a chuva somava 20 mm a 25 mm.


Na estação do Instituto Nacional de Meteorologia, no bairro Jardim Botânico, a precipitação até 19h somava neste fim de semana 56 mm. Para se ter ideia, o volume é o dobro do que choveu em todo o último mês no local no que foi o fevereiro mais seco em 96 anos.

Somente entre 16h e 17h a chuva no Jardim Botânico atingiu 36,8 mm, quando em fevereiro o mês totalizou 23,6 mm. A chuva veio com rajadas de vento ao redor de 60 km/h, o que já deixou grande número de consumidores sem luz na capital.

Estas grandes variações de volume de chuva se repetem também na Grande Porto Alegre. Em Canoas, o maior acumulado medido foi de apenas 15 mm. Em Sapucaia do Sul, 17 mm. Já em Viamão a precipitação deste fim de semana até 20h deste domingo variava entre 25 mm e 60 mm nas diferentes estações da cidade. Em Alvorada, de 15 mm a 35 mm. Em Gravataí, de 30 mm a 60 mm. Novo Hamburgo teve 30 mm e Campo Bom 40 mm.

Nesta segunda, a madrugada na Grande Porto Alegre tem muitas nuvens e chance de chuva ainda em alguns pontos, mas no decorrer da manhã a nebulosidade diminui e o sol aparece com nuvens, trazendo forte aquecimento.

Da tarde para a noite, contudo, o calor e a umidade formam instabilidade com chuva. Há risco de chuva forte a intensa em alguns pontos e não se descarta temporal.

Modelos divergem enormemente sobre a máxima na região metropolitana nesta segunda com o modelo europeu apontando 30ºC e o norte-americano GFS valores de até 37ºC a 38ºC. Isso porque o GFS projeta maior diminuição da nebulosidade e mais cedo com forte advecção de ar quente de Norte, fazendo a temperatura disparar.

Porto Alegre e região metropolitana têm possibilidade de registro de chuva todos os dias até a sexta-feira. Chuva que em alguns momentos será localmente forte a intensa com altos volumes em curto período com risco de alagamentos e de temporal.

A chance de chuva diminui na terça, apesar de não descartada, e aumenta novamente na quarta com previsão de instabilidade também na quinta e provavelmente ainda na sexta-feira com o avanço de uma frente fria que vai refrescar o tempo no final da semana.

Anúncios