Anúncios

Poderosa massa de ar polar pode trazer neve para os três estados do Sul do Brasil. Uma das massas de ar polar mais fortes dos últimos anos começa a derrubar a temperatura no Rio Grande do Sul neste domingo e o frio vai se intensificar muito entre segunda-feira e terça-feira, quando o ar mais gelado que agora está na Argentina vai alcançar a parte Sul do Brasil.

Trata-se de uma massa de ar polar intensa de trajetória continental que vai avançar pelo interior do continente associada a um centro de alta pressão de 1.034 hPa que se instalará no Norte da Argentina. Por isso, a abrangência da massa de ar polar será muito grande na América do Sul, alcançando muitos países do continente.


Mapas de anomalia de temperatura em 850 hPa (1.500 metros) mostram a abrangência da massa de ar polar, a sua forte intensidade e progressão pela América do Sul

A queda da temperatura será acentuada em uma extensa área do território brasileiro. Esta potente massa de ar frio vai trazer forte resfriamento no Sul, no Centro-Oeste, no Sudeste e em parte da Região Norte.

O pior do frio, obviamente, ocorrerá nos três estados do Sul, mas esfriará muito no Mato Grosso do Sul, em São Paulo, no Rio de Janeiro e até em parte de Minas Gerais.

A queda da temperatura será drástica também no Mato Grosso e em parte de Goiás. No Norte do Brasil, a previsão é de friagem com o frio chegando aos estados de Rondônia, Acre e até mesmo ao Sul do Amazonas.

Frio abaixo de zero em diversos estados

A grande potência desta massa de ar frio deve trazer temperatura abaixo de zero para diversos estados do Centro-Sul do Brasil. A temperatura deve cair abaixo de zero em um grande número de municípios dos Rio Grande do Sul, Santa Catarina e o Paraná durante a primeira metade desta semana, mas marcas negativas podem ocorrer também nos estados do Mato Grosso do Sul, em pontos do interior de São Paulo, nas áreas mais altas do Rio de Janeiro e ainda nos pontos altos do Sul de Minas Gerais. Não está fora de cogitação que mínimas negativas sejam anotadas no Sul de Goiás.

Interessante é que no Rio Grande do Sul esta massa de ar frio não será lembrada depois em razão de suas mínimas excepcionalmente baixas. O motivo é que vento e nuvens pela presença de um ciclone extratropical devem impedir um resfriamento maior nas áreas de maior altitude que estão no Leste do Estado, mas mesmo assim o frio será muito intenso e com marcas abaixo de zero. Os Aparados da Serra devem ter entre -5ºC e -7ºC. A Grande Porto Alegre deve ter entre 3ºC e 5ºC.

Onde o frio deve chamar atenção pela intensidade é em áreas mais continentalizadas e distantes do campo de influência de vento e nuvens do ciclone como o Noroeste gaúcho, o Oeste catarinense, o Sul do Mato Grosso do Sul e o Paraná que terão mínimas muito baixas.

A MetSul destaca que as máximas no período da tarde serão por demais baixas durante esta primeira metade da semana, notadamente entre segunda-feira e quarta, com marcas abaixo de 10ºC durante a tarde em muitas cidades dos três estados do Sul.

Em locais de maior altitude, os termômetros sequer devem marcar mais de 0ºC ou pouco acima de 0ºC na terça-feira, logo serão dias gélidos pela frente. Mesmo com a presença do sol o frio será muito intenso e Porto Alegre deve ter as suas menores máximas deste ano até agora com registros de 10ºC a 13ºC na maioria dos bairros durante a tarde nesta primeira metade da semana.

Geada muito ampla

A intensa massa de ar frio deve trazer geada em grande parte do Centro-Sul do país nesta semana, especialmente entre terça e quinta-feira, quando o ar estará mais frio e seco sobre a região. Deve gear na grande maioria dos estados do Sul, Centro-Oeste e do Sudeste do Brasil neste evento polar.

Os mapas acima mostram as projeções de geada do modelo canadense, disponíveis ao assinante da MetSul com exclusividade na seção de mapas, para segunda a quinta-feira desta semana.

Como se observa, a geada deve atingir praticamente todos os estados do Centro-Sul brasileiro, no Sul, no Centro-Oeste e no Sudeste. Chama atenção que, inicialmente, os mapas não mostram geada para áreas do Sul e do Leste gaúcho e isso se deverá em razão de vento e nuvens gerados por um ciclone extratropical.

Alerta-se que a geada em áreas mais afastadas da costa no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, e ainda no Paraná e no Mato Grosso do Sul poderá ser forte a intensa com danos para a agricultura e hortifruti. O mesmo pode ocorrer em pontos do interior de São Paulo na metade da semana.

Neve no Sul do Brasil

Todos os modelos numéricos analisados pela MetSul indicam a ocorrência de neve no Sul do Brasil neste evento de frio polar. Como é normal em se tratando de neve, não há um consenso sobre quais áreas poderiam ter a precipitação do fenômeno. Veja abaixo as projeções de neve dos modelos americano, canadense, alemão e WRF para este episódio de frio no Sul do país. Estas projeções estão disponíveis ao assinante na seção de mapas da página com várias atualizações diárias.

Projeção de neve do modelo WRF

Projeção de neve do modelo alemão Icon

Projeção de neve do modelo canadense

Projeção de neve do modelo norte-americano GFS

De acordo com a análise da manhã deste domingo da MetSul, sujeita ainda a mudanças até amanhã, existe a possibilidade de nevar nos três estados do Sul do Brasil entre esta segunda e a terça-feira. A avaliação da MetSul é que a chance de nevar é maior numa faixa que vai dos Campos de Cima da Serra do Rio Grande do Sul até o Sul do Paraná (Planalto de Palmas), passando pelo Planalto Sul Catarinense e áreas do Centro-Norte catarinense, alcançando parte do Meio-Oeste de Santa Catarina.

Considerando a grande potência desta massa de ar frio e o cenário sinótico, em que a neve se daria com o ar gelado interagindo com o ramo frontal no Sul do Brasil e não por circulação ciclônica, não se pode afastar a ocorrência de neve – com menor chance – e/ou chuva congelada em áreas de altitude do Norte do Rio Grande do Sul (Planalto e Alto Uruguai) e do Nordeste do Rio Grande do Sul (Serra Gaúcha), do Leste catarinense, do Meio-Oeste de Santa Catarina e talvez até do Sudoeste do Paraná.

Enfatizamos que nenhum evento de neve é igual ao outro e que previsão de neve é por demais complexa. A possibilidade de nevar traz a memória recente dos episódios de frio de julho de 2013 e agosto de 2020 em que nevou nos três estados do Sul do país, porém não se antecipa uma repetição idêntica destes eventos. As áreas com maior potencial de alguma acumulação, se ocorrer, são o Planalto Sul Catarinense e o Planalto de Palmas.

Ciclone, vento forte e muito baixa sensação térmica com agitação marítima

A frente fria que está sobre o Sul do Brasil neste momento começou já a ocluir e já se forma um ciclone extratropical que vai se deslocar do oceano para a costa da província de Buenos Aires e depois avançará para o Rio da Prata, o litoral do Uruguai e a costa Sudeste do Rio Grande do Sul.

Este ciclone vai se intensificar muito e será intenso, o que vai resultar em vento forte a muito forte com rajadas intensas na costa de Buenos Aires, no Uruguai, especialmente no Sul e no Leste do país, e no Rio Grande do Sul.

O ar mais gelado vai acompanhar o campo de influência do ciclone, logo o ar mais frio vai ingressar no Rio Grande do Sul neste começo de semana com vento. O vento ganhará força nesta segunda no Estado, especialmente no Sul gaúcho, e será forte a por vezes muito forte na terça-feira, quando do ar mais frio, no Sul e no Leste do território gaúcho, e ainda no Sul e no Leste de Santa Catarina.

Alerta-se que o vento trará sensação térmica muito baixa, negativas ou pouco acima de 0ºC, de forma generalizada. A sensação em alguns momentos será congelante nas áreas de maior altitude do Sul do Brasil. Valores de sensação térmica tão baixos quanto -10ºC a -15ºC são possíveis nas partes mais altas de Santa Catarina e o vento com a umidade pode gerar ainda formação de gelo (hard rime) nos picos catarinenses.

A circulação de umidade da área de baixa pressão já traz neve em pontos pouco acostumados ao fenômeno neste domingo em Buenos Aires, como no Noroeste da província. A interação da instabilidade ciclônica pode trazer neve, graupel (pelotas de neve) ou chuva congelada para pontos da costa atlântica da província de Buenos Aires e em partes do Uruguai.


Na terça-feira, a circulação ciclônica com nuvens, vento e chance de instabilidade afetará mais o Rio Grande do Sul, especialmente o Sul e o Leste do Estado, de forma que não se pode descartar a ocorrências de fenômenos de precipitação invernal até em locais de menor altitude ou próximos ao nível do mar, especialmente no Sul e na Metade Leste gaúcho.

Como será um ciclone intenso e bastante concêntrico muito perto da costa, e ainda com uma alta pressão expressiva no Norte da Argentina, espera-se um acentuado gradiente de pressão atmosférica. Sob este cenário, não apenas é favorecido vento forte como há um risco grande de forte agitação marítima no litoral do Uruguai (oleaje), na costa do Sul do Brasil e também no litoral da Região Sudeste nos próximos dias. A ressaca na costa pode ser significativa em algumas praias com risco de erosão costeira e naufrágio de pequenas embarcações. No litoral do Uruguai, em Punta del Este e Piriápolis, muita espuma do mar deve invadir a orla.

Anúncios