Anúncios

O Rio Grande do Sul vem de dez dias extremamente complicados. O Estado foi assolado por chuva intensa no Centro, Norte e no Noroeste, o que levou a maior cheia do Rio Uruguai em 31 anos. Dezenas de milhares de pessoas deixaram suas casas. Houve mortes. Prejuízos materiais são desconhecidos, mas serão altíssimos. Entre quinta e sexta houve temporais com estragos no interior. Aqui na nossa região tivemos chuva intensa com muitos transtornos, sobretudo em Porto Alegre. A Capital registrou quase 100 mm em um dia num dos mais altos volumes em 24 horas no mês de julho em um século de dados.




Hoje é o último dia da sequência tenebrosa de chuva e temporais. Frente fria cruza pelo Rio Grande do Sul, mas o tempo já começou a abrir com sol pelo Oeste e o Sul (imagem de satélite acima). Nesta segunda, o sol predomina no Estado e o amanhecer será frio. As mínimas podem cair a valores entre 2ºC e 4ºC na Campanha e na fronteira com o Uruguai. E, a excelente notícia, todos os sinais são de que esta semana terá o predomínio do tempo seco com dias de sol, noites frias e tardes amenas. Uma merecida trégua. A madrugada mais fria será a da terça, quando são esperadas marcas de 5ºC ou menos na maioria das regiões gaúchas com chance de geada em diversas regiões. Na Grande Porto Alegre deve fazer entre 4ºC e 6ºC nos pontos mais frios. Espera-se alta frequência de nevoeiro nos próximos dias. Com o esperado predomínio do tempo seco no decorrer da semana, os rios baixarão mais rapidamente e muita gente poderá retornar para casa. Chuva mais generalizada novamente, de acordo com modelos numéricos analisados, pode se dar no próximo domingo, dia da final da Copa do Mundo.

Anúncios