Anúncios

Santiago do Chile foi a segunda capital da América do Sul a registrar nesta semana recorde de maior temperatura máxima para o mês de outubro em meio a uma forte onda de calor que traz marcas máximas históricas para esta época do ano no Cone Sul | MARTIN BERNETTI/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Santiago do Chile teve ontem (28) o dia mais quente da sua história, informou a Dirección Meteorologica de Chile. A temperatura máxima na estação meteorológica de Quinta Normal de Santiago chegou a 33,4ºC, mais alto valor já observado no mês de outubro na capital chilena e que bateu o recorde prévio de 33,3ºC de outubro de 1941. Santiago tem medições ininterruptas na estação de Quinta Normal desde 1912, logo há 109 anos.

Meteorologistas do Chile observam que com o aquecimento global tem aumentado o número de ondas de calor no país. Inicialmente, elas ocorriam apenas no verão e somente uma vez por ano. Nas últimas décadas, entretanto, houve um aumento progressivo dos episódios de calor. A frequência triplicou nas últimas quatro décadas.

Na última década, o número médio foi de seis ondas de calor por ano no Chile. Em 2020, todos os recordes foram batidos com 16 ondas de temperatura alta, um número totalmente atípico, de acordo com climatologistas da Universidade de Santiago.

Uma onda de calor é fenômeno atmosférico que produz temperaturas altas ou extremamente altas em relação à média da estação (valores típicos) por três ou mais dias, conforme o critério adotado pela Meteorologia chilena. Se as ondas de calor sempre existiram, e não é um fato novo trazido pelo aquecimento do planeta, a frequência aumentou dramaticamente durante os últimos anos, o que poderia se esperar com as mudanças climáticas.

Recordes de calor também na Argentina

Santiago do Chile não foi a única capital da América do Sul a ter recorde de calor nesta semana. A cidade de Buenos Aires registrou na terça a mais alta temperatura máxima para o mês de outubro em 116 anos com registro de 36,3ºC no Observatório Central de Villa Ortúzar.

Ontem, Mar del Plata, na costa atlântica da província de Buenos Aires, teve recorde de calor para outubro, batendo o recorde prévio da cidade no mês de 34,4ºC de 24 de outubro de 1981. O recorde de Mar del Plata se soma a uma série de outros registrados nesta semana no Centro da Argentina com um bolsão de ar muito quente que atuou na zona.


Na terça, o Aeroporto Internacional de Ezeiza igualmente bateu recorde de máxima para outubro com 34,7ºC que superou o registro de 34,4ºC de 27/10/2014.  A cidade de La Plata, que é a capital da província de Buenos Aires igualou a marca recorde de calor para outubro com 32,6ºC, que já havia sido anotada em 27/10/2014.

Outras cidades que anotaram recordes de máxima para o mês na terça foram Punta India com 32,7ºC, acima dos 32,0ºC de 30/10/1981; Tres Arroyos com 32,8ºC que bateu os 32,5ºC de 29/10/1999; San Fernando que anotou 36,3ºC e superou a máxima até então recorde pro mês de 35,3ºC de 27/10/2014; El Palomar que teve 35,3ºC e bateu os 32,8ºC de 13/10/2002; e San Miguel que observou uma máxima de 35,2ºC, acima do recorde prévio de 34,9ºC de 27/10/2014.

Anúncios