Anúncios

Motoristas passaram até mais de 24 horas presos em congestionamento na rodovia I-95 na Virgínia com tempestade de neve que atingiu a região na última segunda-feira | HIP SOMODEVILLA/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Um passageiro do estado norte-americano da Virgínia foi reembolsado pelos 600 dólares (3.400 reais) que foi cobrado por viagem no Uber depois de ficar preso em congestionamento de quilômetros de extensão na Virgínia que deixou alguns motoristas presos na rodovia interestadual por mais de um dia em meio a uma tempestade de neve.

Andrew Peters, de Richmond, Virgínia, estava viajando do Aeroporto Internacional de Dulles na segunda-feira após uma recente viagem a San Francisco. Ele disse à emissora de rádio de Washington WTOP que não tinha ideia do que estava acontecendo na Virgínia e da gravidade da nevasca. O motorista do Uber de Peters também não percebeu o quão terrível era o tráfego na I-95, eventualmente indo para a rodovia e ficando preso no trânsito, de acordo com a emissora.


A Polícia Estadual da Virgínia disse que vários veículos como caminhões sofreram acidentes na pista escorregadia pela neve e o gelo, causando um grande engarrafamento Funcionários do governo da Virgínia defendem a resposta ao congestionamento com neve na I-95, apesar de as pessoas terem ficado mais de um dia presas no congestionamento na neve.

“Foi meio assustador”, disse Peters à WTOP. “Não tínhamos comida nem água.” Depois de ficar preso na rodovia por um total de nove horas, Peters finalmente voltou para casa pagando 200 dólares pela viagem. No entanto, assim que voltou para casa, Peters disse que a empresa de compartilhamento de viagens cobrou 400 dólares adicionais, elevando seu total geral do Aeroporto Internacional de Dulles a Richmond para 600 dólares.


Peters afirmou que após várias tentativas, ele contestou a cobrança adicional com o Uber. A empresa de transporte entrou em contato com ele na quarta se desculpando pelo incidente. “Eles ficaram tristes em saber que eu tive … tantos problemas com o aplicativo, e que eles adorariam me reembolsar totalmente”, disse.

Em um e-mail para a emissora de rádio pública norte-americana NPR, a porta-voz do Uber, Michelle Blackwell, disse que Peters recebeu uma oferta de reembolso após a “terrível provação”. “Agradecemos sua paciência durante este processo e estamos muito felizes que ele e seu motorista do Uber chegaram em casa com segurança”, disse Blackwell.

De acordo com o site do Uber, fatores como trânsito intenso ou mau tempo podem causar prejuízos aos passageiros pela viagem demorar mais do que o esperado. Para compensar um motorista pelo tempo adicional, a empresa diz que a tarifa do passageiro pode aumentar.

Os motoristas ficaram presos no trânsito por horas na I-95 com a rodovia coberta de neve. Foi a maior nevasca na região em três anos. O Serviço Meteorológico Nacional informou que até 11 polegadas de neve (quase 30 centímetros) caíram na área durante a tempestade de inverno da última segunda-feira.

Anúncios