Anúncios

O que esperar do ciclone na costa hoje? Desde pronto, a resposta: não muito.

Trata-se de um sistema, como antecipou a MetSul Meteorologia, que não é muito profundo e desta forma não é intenso. Sua pressão central hoje no oceano a Leste e Sudeste do Rio Grande do Sul é projetada em 999 hPa e 1.000 hPa durante a manhã.


No final do dia, o centro de área de baixa pressão estará em mar aberto na altura do Litoral Norte gaúcho e do Sul de Santa Catarina, distante da costa, com pressão prevista ao redor de 1.003 hPa.

Soma-se o fato de não haver um grande sistema de alta e com valores altos de pressão bastante altos ingressando no continente, o que aumentaria a diferença de pressão atmosférica e poderia trazer vento mais intenso, como ocorrem nas incursões polares de inverno.

Assim, (1) ciclone não profundo, (2) não muito organizado e (3) ausente um gradiente de pressão atmosférica maior determinarão impactos menores. Os efeitos principais eram previstos para ontem com a frente fria associada ao sistema encontrando a atmosfera aquecida com temporais.

Hoje, o que os gaúchos terão será instabilidade. Muitas nuvens persistem sobre o Rio Grande do Sul nesta sexta-feira em consequência da circulação ciclônica que traz nebulosidade variável com predomínio de céu nublado a encoberto, mas com aberturas passageiras em diferentes pontos e maiores no Oeste.

A circulação de umidade ciclônica traz, além da abundante nebulosidade, chuva e garoa para a maioria das regiões. Chance maior de precipitação na Metade Leste gaúcha que inclui a Serra, o Litoral e Porto Alegre, mas chove e garoa em municípios de outras regiões.

Os volumes vão ser baixos e as precipitações um tanto irregulares na distribuição, mas, como é comum em dias de circulação ciclônica, se formam nuvens mais carregadas isoladas que provocam chuva forte de caráter localizado.

Em Santa Catarina e no Paraná, o sol aparece com nuvens na maioria dos pontos e chove em pontos isolados. No Sudeste do Brasil, a frente fria associada ao ciclone traz muitas nuvens em especial em São Paulo com chuva em muitas áreas do estado e que isoladamente será forte e com risco de temporais muito localizados.

Com tempo instável e o ingresso de ar mais ameno impulsionado pela área de baixa pressão, outro efeito do ciclone hoje será a temperatura mais baixa e o dia de marcas agradáveis para esta época do ano em várias regiões.

Muitos municípios não devem ter mais que 25ºC, portanto muito diferente do calor intenso com abafamento de ontem que elevou a temperatura a 37,5ºC na Grande Porto Alegre antes da chegada do temporal que trouxe vento de 109 km/h na área metropolitana e estragos.


O sistema ciclônico traz vento moderado com ocasionais rajadas, em média de 50 km/h a 70 km/h, no Sul e no Leste gaúcho nesta sexta, sobretudo no Litoral Sul e nas áreas das lagoas e seu entorno, em cidades como Rio Grande, Mostardas e São José do Norte.  Na maior parte do Estado, o vento nesta sexta será fraco a ocasionalmente moderado.

Logo, vento acima de 100 km/h como se viu ontem em temporais isolados não se repete hoje e ventania intensa por horas, como ocorre em ciclones profundos, não vai ocorrer. O que se terá é tempo instável com chuva em vários pontos do Rio Grande do Sul, forte a torrencial em pontos isolados durante alguns momentos.

Anúncios