Anúncios

O que causou o tornado em Santa Catarina? Tornado em Campos Novos provocou estragos e chegou a virar um caminhão com a força do vento na tempestade severa | Divulgação

O que causou o tornado em Santa Catarina? Um episódio de tempo severo atingiu o Sul do Brasil entre sexta e sábado com chuva volumosa no Rio Grande do Sul e tempestades muito fortes em pontos de Santa Catarina e do Paraná. A Defesa Civil catarinense indicou que um tornado atingiu o município de Campos Novos na noite entre a sexta-feira e o dia de ontem.

O tornado provocou muitos estragos em Campos Novos com destelhamentos e colapso de estruturas, além de queda de árvores e postes com falta de luz na cidade. O vento ainda deixou dois feridos leves. Com o tornado no município do Meio-Oeste catarinense, veículos chegaram mesmo a tombar e até pesados como um caminhão.


O tempo severo na região do Meio-Oeste catarinense ainda produziu mais transtornos. O vento intenso derrubou quatro torres de transmissão de energia de 230 KV na região de Videira e de Campos Novos, o que causou falta de luz também nos municípios de Caçador e Fraiburgo e obrigou o deslocamento de geradores para atender a população. Cerca de 70 mil unidades ou perto de 300 mil pessoas ficaram sem energia.

O que causou o tornado e o tempo severo

Um centro de baixa pressão térmico atuava na sexta-feira sobre o Norte da Argentina e o Paraguai, o que gerou aporte de ar quente com uma corrente de jato em baixos níveis da atmosfera (corredor de vento a cerca de 1.500 metros de altitude) para o Sul do Brasil.

Centro de baixa pressão no Norte da Argentina favoreceu a formação de uma corrente de jato em baixos níveis da atmosfera com ingresso de ar quente antes da chegada de uma frente fria | DECEA/FAB

O ar quente ao avançar sobre o ar frio que estava sobre o Rio Grande do Sul gerou fortes áreas de instabilidade no território gaúcho ao longo da sexta-feira com altos volumes de chuva, que chegaram a 150 mm no Centro gaúcho e quase 90 mm na Grande Porto Alegre, e muitos raios. A instabilidade avançou de Noroeste para Sudeste com característica de frente quente.

Ao mesmo tempo em que o Oeste, o Centro, o Sul e o Leste do Rio Grande do Sul sofriam os efeitos do ramo frontal quente com muita chuva e raios, e temperatura entre 15ºC e 17ºC na maioria das cidades, o tempo abria com sol e calor no Noroeste gaúcho e no Oeste catarinense na tarde de sexta com 29,9ºC em Santa Rosa e 25ºC em Chapecó. Em Misiones na Argentina e em Assunção no Paraguai fazia mais de 30ºC.

No final da sexta, ar mais frio começou a avançar pelo Uruguai e o Sul gaúcho, o que fez com que a instabilidade se deslocasse no sentido Norte desta vez como uma frente fria. Ao encontrar o ar quente, intensas áreas de instabilidade se formaram no Sudoeste do Paraná com granizo de médio tamanho e no Oeste e Meio-Oeste catarinense com vendavais e o tornado.

Tempestades com granizo médio a grande atingiram o sudoeste do Paraná na noite de sexta para sábado | Divulgação

Estação meteorológica em Campos Novos registrou rajada de vento de 123 km/h, mas nos locais em que o tornado passou a velocidade foi superior. Isso explica que os danos não tenham se limitado à área em que o tornado percorreu e tenha havido graves impactos da rede elétrica da região.

Corrente de jato em baixos níveis

Em razão da baixa pressão no Norte da Argentina, uma corrente de jato se formou sobre o Sul do Brasil na sexta-feira com ingresso de ar quente. Na noite da sexta-feira, o jato de baixos níveis encontrava-se intenso justamente sobre as áreas do Oeste e do Meio-Oeste de Santa Catarina, onde se produziu a formação de tornado, com cerca de 50 nós (perto de 100 km/h).


Corrente de jato em baixos níveis com vento ao redor de 100 km/h atuava no Meio-Oeste Catarinense quando da ocorrência do tornado na análise do modelo GFS | MetSul.com

A esmagadora maioria dos tornados que ocorre no Sul do Brasil, especialmente os que se dão durante os meses mais frios do ano, tem a presença de uma corrente de jato em baixos níveis da atmosfera. Com o avanço de uma frente fria com vento de Sul e o “jato” intenso trazendo ar quente de Noroeste, cria-se uma condição de vento divergente (cisalhamento) que favorece a formação de um tornado. Foi exatamente o que ocorreu na região de Campos Novos.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Este tipo de situação é especialmente comum precedendo uma frente fria de maior atividade com calor pré-frontal, sobretudo quando há um ciclone de maior potência associado. Por isso, mudanças bruscas de temperatura alta para frio intenso durante o inverno comumente ocorrem com tempo severo e às vezes com tornados.

Anúncios