Anúncios

Bombeiro alemão inspeciona os destroços da inundação na cidade de Schuld em busca de vítimas desaparecidas | Bernd Lauter/AFP/MetSul Meteorologia

Mais de mil desaparecidos na Alemanha em razão do episódio de chuva extrema com graves inundações que atingiu o Oeste do país europeu entre quarta-feira e ontem. Pelo menos 81 mortes foram confirmadas até o momento pelas autoridades alemãs, entretanto o governo da Renânia do Norte-Vestfália menciona 1.300 desaparecidos com base em registros de celulares. É possível, segundo o governo local, que muitas das pessoas desaparecidas possam estar vivas pela interrupção da rede de telefonia em alguns locais.

O número de mortes confirmadas deve aumentar à medida que as equipes de resgates e buscas seguem trabalhando nos escombros de prédios e casas que foram destruídos pela força das águas. A líder do estado da Renânia do Norte-Vestfália descreveu os danos como “inconcebíveis”.


Uma equipe da emissora alemã Deutsche Welle percorreu os locais mais castigados na Renânia do Norte-Vestfália e descreveu que o estado está em choque com as enchentes. A correspondente da emissora enviada à localidade de Walporzheim, no Oeste alemão, relatou os estragos como “espantosos”.

Cidades fantasmas eram vistas no Oeste da Alemanha nesta sexta-feira depois que toda a população foi evacuada devido ao avanço das águas. Equipes de resgate seguem atuando nos escombros com ajuda de tropas federais. A chanceler alemã Ângela Merkel disse estar chocada com a extensão dos danos e o saldo de vítimas. Um gabinete de crise foi montado para responder ao desastre.

Chuva na Alemanha

Volumes generalizados de 100 mm a 150 mm foram registrados no Oeste da Alemanha em 24 horas entre quarta e quinta-feira. Os volumes são superiores às médias do mês de julho inteiro na região. Colonia, por exemplo, anotou 154 mm em apenas 24 horas, quase o dobro da sua média mensal histórica de precipitação de 87 mm.

Volumes muito superiores foram registrados isoladamente nos estados do Oeste alemão. Na localidade de Reifferscheid, o acumulado de precipitação em apenas nove horas foi de 207 mm, o que acabou produzindo inundações repentinas muito graves na região. Houve medições locais de até 300 mm ou mais.

Uma área de baixa pressão segregada em altitude, conhecida como “baixa fria” posionou-se entre duas massas de ar de bloqueio atmosférico sobre o continente europeu. O centro de baixa pressão em altura sobre o território alemão interagiu com a atmosfera quente e gerou grande convecção com a formação de nuvens muito carregadas que provocaram o episódio de extrema precipitação.

Grave situação na Bélgica

A situação é crítica também na Bélgica, apesar de menos dramática que a da Alemanha. Ao menos seis mortes foram confirmadas no país. Vários rios transbordaram e inundaram diversas cidades. Entre as cidades que foram tomadas pelas águas na Bélgica está Liége.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Já a cidade de Chaudfontaine começou a ser evacuada ainda durante a tarde da quarta-feira ante a perspectiva de graves inundações. O governo francês enviou tropas e helicópteros para auxiliar as autoridades belgas, Os governos de Itália e Áustria fizeram ofertas semelhantes de ajuda.

Anúncios