NOAA

O fenômeno La Niña, caracterizado pelo resfriamento das águas superfícies do Oceano Pacífico Equatorial, atua desde o mês de agosto e vem se intensificado semana após semana. Os mais recentes dados divulgados ontem (19) pela Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera dos Estados Unidos apontam que o evento atual de La Niña está perto de atingir o limite da categoria de forte.

Conforme o mais recente boletim da NOAA, a anomalia de temperatura da superfície do mar no Pacífico Equatorial Central, a chamada região Niño 3.4, está em -1,4ºC, assim no limite da categoria de moderado (-1ºC a -1,4ºC) e forte (-1,5ºC a -1,9ºC). Já a região Niño 1+2, a do Pacífico Equatorial Leste, perto das costas do Peru e do Equador, teve uma anomalia na última semana de -1,2ºC.

Modelos climáticos indicam que o Pacífico Equatorial Central deve seguir esfriando com a chegada à superfície de águas profundas mais frias. Por isso, indicam que o pico do evento atual de La Niña deve se dar entre dezembro e janeiro, podendo ser forte e, de acordo com alguns dados, até muito forte.


Assim, em resumo, não apenas o episódio de La Niña prossegue nos próximos meses como tende a se intensificar e ainda deve atingir forte intensidade com possibilidade até de ser intenso. A maior ou menor intensidade de um evento de La Niña não significa que seus impactos serão mais ou menos intensos, logo não se pode fazer a associação La Niña fraca e estiagem fraca ou La Niña forte e estiagem forte, no caso do Sul do Brasil. O que o aumento da intensidade produz é o incremento da probabilidade dos impactos comuns virem a ocorrer, o que no caso do Sul do Brasil significa um aumento de probabilidade da ocorrência de estiagem.

A MetSul Meteorologia entende que a pergunta quanto aos próximos meses não é se terá ou não estiagem e sim qual será a sua extensão e gravidade. Consideramos como altíssima a probabilidade que o fenômeno La Niña impacte negativamente a safra de verão de 2021 no Sul do Brasil, em particular no Rio Grande do Sul, com perda de produtividade que em algumas áreas poderá ser significativa.