Anúncios

Foi um dia mágico. Quem viu, jamais esquecerá. O dia começou ameno na capital gaúcha e os moradores de Porto Alegre jamais podiam imaginar o que a tarde daquele 24 de agosto de 1984 estaria reservando. 

Capa do jornal Zero Hora de 25/8/1984 (Gilberto Simon)

De repente, a temperatura começou a cair. Ao invés de subir, as marcas nos termômetros despencavam no final da manhã e no começo da tarde. Às três horas da tarde, fazia 2°C na capital gaúcha e chovia. Chuva que instantes depois se transformaria em neve com flocos que atingiram a cidade como um todo e diversos pontos da região metropolitana.


A neve durou pouco mais de meia hora. Em alguns locais, a precipitação chegou a perdurar por quase uma hora. Foi o suficiente para que houvesse acumulação sobre automóveis, telhados e na vegetação. O espetáculo foi mais bonito em partes altas da cidade como o Morro Santa Teresa, onde moradores chegaram a formar um pequeno boneco de neve sobre os automóveis. 


Na Rua da Praia, no centro, os porto-alegrenses incrédulos não podiam acreditar no que os olhos mostravam. A neve caía, sem trégua, sobre a Praça da Alfândega e tranformava a paisagem.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Foi no dia 24 de agosto de 1984. Inesquecível para quem viu.

Anúncios