Anúncios

Furacão Eta deixou centenas de mortos na América Central e agora vive a ameaça do furacão Iota | Polícia Nacional de Honduras

A América Central está na iminência de viver o desastre dentro do desastre com o furacão Iota. Mais um furacão deve atingir países duramente castigados pelo arrasador furacão Eta (clique aqui para ler mais e ver fotos e vídeos) apenas poucos dias depois da passagem da última tempestade. Honduras, Guatemala e Nicarágua anunciaram evacuações com a perspectiva de um segundo grande furacão no momento em que sequer foram concluídas as ações de recuperação do último.

O furacão Eta matou mais de 200 pessoas em toda a América Central com grandes deslizamentos de terra e inundações que atingiram áreas do Panamá até o Sul do México, afetando principalmente Guatemala, Honduras e Nicarágua. Somente um deslizamento de terra matou mais de 100 pessoas.

O Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos, prevê que outro grande furacão está se aproximando de Honduras, Nicarágua e Guatemala, cujas populações totalizam mais de 30 milhões. O NHC prevê que a tempestade tropical Iota se tornará um furacão de categoria 3 ou 4 à medida que se move para os mesmos países no final deste domingo e nesta segunda-feira, logo menos de duas semanas após o impacto do Eta.

As autoridades em Honduras ordenaram na sexta-feira a evacuação pela polícia e pelo exército de pessoas na área de San Pedro Sula – a segunda cidade e capital industrial do país, localizada a 180 quilômetros ao Norte de Tegucigalpa. O vale de San Pedro Sula foi duramente atingido pelo Eta e cerca de 40.000 pessoas ainda estão em abrigos em todo o país.

Na Nicarágua, agências de ajuda humanitária começaram a evacuar algumas comunidades indígenas do rio Coco, na fronteira com Honduras, que podem ser afetadas por fortes chuvas e inundações devido ao furacão Iota. As autoridades da Waspam enviaram na sexta-feira barcos para retirar a população da comunidade de Cabo Gracias a Dios, o cabo onde o rio Coco deságua no Caribe ao longo da “Costa do Mosquito”, e ônibus para transportar pessoas da vila de Bihmuna.

Enquanto isso, a agência de gestão de desastres CONRED da Guatemala convocou os residentes das áreas mais ameaçadas do país no Norte e Nordeste guatemalteco para que evacuem voluntariamente para abrigos. Também recomendou evitar cursos de água e outras áreas de risco.

A Eta atingiu a costa caribenha da Nicarágua como uma tempestade de categoria 4 e foi uma das mais fortes tempestades de novembro já registradas. A temporada de furacões é recorde com 30 ciclones tropicais nomeados. O NHC foi até forçado a mudar para o alfabeto grego depois que as tempestades de 2020 esgotaram sua lista de nomes latinos.

Anúncios