Anúncios

O ciclone tropical Eta deixou um saldo de estragos, centenas de mortos e desaparecidos em diversos países da América Central, onde chuvas torrenciais causaram inundações e deslizamentos de terra. Somente na Guatemala, as autoridades estimam que existam mais de 150 vítimas entre mortos e desaparecidos após um deslizamento enorme de terra ter soterrado mais de 150 casas em um vilarejo no centro do país.

O Centro de Coordenação para a Prevenção de Desastres na América Central e na República Dominicana (CEPREDENAC) – organismo especializado do Sistema de Integração Centro-Americano (SICA) – estima que 3 milhões de pessoas foram afetadas pelo ciclone Eta na região.

A tempestade despejou centenas de milímetros de chuva em vários países da América Central com inundações devastadoras e deslizamentos que atingiram regiões isoladas e empobrecidas principalmente da Guatemala. O número de mortos aumentou depois que o Exército da Guatemala conseguiu chegar a uma remota aldeia montanhosa onde a força da chuva trouxe deslizamentos de terra devastadores.

O mau tempo persistente dificultou os esforços de resgate, ainda mais limitados porque o país tem apenas um helicóptero para trabalhar. “Temos muitas pessoas presas que não conseguimos alcançar”, disse o presidente guatemalteco.

Um avião com ajuda humanitária para as pessoas afetadas pelo Eta caiu em um setor no Sul da Cidade da Guatemala, por motivos desconhecidos. A aeronave bateu em uma rua de uma área residencial da capital guatemalteca. Os destroços do avião se espalharam pela rua, mas também dentro da embaixada do Vaticano na Guatemala, cujas instalações estão próximas à área do acidente.

Eta é uma das tempestades mais violentas que atingiu a América Central nos últimos anos e o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC) alertou que as “inundações catastróficas” na região continuarão, com transbordamentos de rios que “ameaçam a vida das pessoas”.

Em Honduras, onde os difíceis esforços de busca e resgate para sobreviventes também continuam, o trabalho foi retardado pela destruição de estradas e pontes, forçando as autoridades a recrutar militares e usar helicópteros e lanchas para resgatar pessoas presas acima suas casas, mais de 330.000 em todo o país. Pelo menos oito pessoas morreram no país em decorrência da tempestade, entre elas crianças, segundo a polícia.

O presidente Juan Orlando Hernández ordenou a mobilização do Exército e a evacuação das áreas alagadas pelas fortes chuvas que chegaram até a capital Tegucigalpa. “Esta é a pior tempestade que Honduras já viu em décadas. Os danos sem dúvida são significativos”, disse Mark Connolly, representante do UNICEF em Honduras, que estimou que cerca de 1,5 milhão de crianças no país serão afetadas.

Na Nicarágua, dois mineiros foram mortos e no Sul da Costa Rica um deslizamento de terra matou duas pessoas em uma casa, uma costarriquenha e um americano, disseram as autoridades. No Panamá, o Eta matou ao menos seis pessoas, incluindo três crianças, perto da fronteira com a Costa Rica. O número oficial de desaparecidos é incerto, uma vez que há lugares que as equipes de socorro ainda não chegaram.

Em El Salvador, as autoridades salvadorenhas levaram 2.294 pessoas para 56 abrigos em diferentes partes do país, onde as chuvas deixaram apenas uma morte. Apesar de não apresentar grandes danos, o país continuará em alerta vermelho devido ao risco de deslizamentos que persiste.

No México, o número de mortos subiu para 27 por conta da passagem do ciclone após a confirmação de duas novas mortes em Chiapas, que acumula 22 mortes, além de cinco em Tabasco. As autoridades de Chiapas informaram um ferido, quatro desaparecidos, 37.079 pessoas afetadas, 12 regiões danificadas, com 8.033 famílias atingidas em 54 municípios com um total de 16.077 casas danificadas, das quais 4.010 estão inabitáveis ​​e 255 desabaram.

Eta retornou ao Caribe, passou por Cube a agora atinge o estado norte-americano da Flórida após ter voltado ao status de tempestade tropical, a primeira na Flórida no mês de novembro desde Mitch em 1998 que provocou 10 mil mortos na América Central. Eta é 12º ciclone tropical nomeado a atingir a área continental dos Estados Unidos neste ano, um número sem precedentes numa única temporada e que supera o recorde de 9 no ano de 1916.

Anúncios