Anúncios

Forte ressaca do mar e tempo instável deu lugar ao frio mais intenso em décadas em Cuba nesta segunda-feira | YAMIL LAGE/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Os cubanos enfrentaram nesta segunda-feira frio com intensidade raramente vista em décadas. O frio foi mais intenso no Oeste e no interior da região central com um total de 34 estações meteorológicas com temperaturas mínimas abaixo de 10ºC, das quais 13 foram inferiores a 7ºC. As informações são do Centro de Prognósticos de Cuba.

O menor valor foi registrado em Bainoa (Mayabeque) com 2,8ºC, possível recorde para o mês de janeiro, de acordo com a Meteorologia cubana. A menor marca anterior era de 1981. Na estação meteorológica de Nueva Gerona (Isla de la Juventud) foi igualado o recorde mensal, que data de 23 de janeiro de 2020. Por outro lado, em Casa Blanca (Havana) registrou-se um valor mínimo de 9,9ºC.


No restante do território cubano, as temperaturas mínimas ficaram entre 14ºC e 17ºC, sendo as mais altas nas áreas costeiras. “Esta situação estava associada à forte influência sobre Cuba e mares adjacentes de uma massa de ar muito fria de origem polar ártica que, em combinação com uma diminuição considerável da cobertura de nuvens e ventos fracos, possibilitou a queda notável das temperaturas”, informou a Meteorologia cubana em comunicado.

Os termômetros indicaram 2,8ºC em Bainoa (Mayabeque); 3,2ºC no Aeroporto José Martí (Havana); 3,5ºC em Unión de Reyes (Matanzas); 3,7ºC em Tapaste (Mayabeque); 4,1ºC em Bauta (Artemisa); 4,8ºC em Guines (Mayabeque) e Melena del Sur (Artemisa); 5,8ºC em Indio Hatuaey (Matanzas), Aeroporto Juan Goméz (Matanzas) e Santiago de las Vegas (Havana); e 6,0ºC em Paso Real de San Diego.

De acordo com o historiador de temperatura Max Herrera da Extreme Temps, a mínima de hoje de 3,2ºC no Aeroporto José Martí de Havana foi a menor desde o 1,6ºC observado em janeiro de 1940, mas na estação meteorológica Casablanca da capital cubana foi a segunda menor marca registrada desde 1970.

Anúncios