Anúncios

Ciclone extratropical que desde ontem provoca muito vento no Rio Grande do Sul já começa a se afastar do continente, apesar de ainda próximo, e ainda traz rajadas de vento esporádicas no Leste do Estado. A tendência, entretanto, é que o vento diminua cada vez mais a partir de agora à medida que a tempestade no oceano se distancia mais da área continental.

Ciclone ainda traz vento nesta segunda-feira | NOAA

A imagem do satélite satélite GOES-16 da manhã desta segunda-feira ainda mostrava o ciclone relativamente perto do Rio Grande do Sul, posicionado a Sudeste do território gaúcho e a Leste da foz do Rio da Prata. A sua pressão mínima central era de 987 hPa. O sistema impulsiona ar seco e frio para o Rio Grande do Sul, o que proporcionou a volta do sol e do tempo mais aberto após um fim de semana de muitas nuvens e instabilidade.


Estragos

Fortes rajadas de vento associadas ao ciclone provocaram transtornos e alguns estragos menores em cidades do Rio Grande do Sul. O vento com rajadas em muitos pontos de 70 km/h a 80 km/h deixaram grande número de gaúchos sem luz. De acordo com balanço divulgado no começo da manhã desta segunda-feira, perto de 50 mil clientes ou cerca de 200 mil pessoas ainda estavam sem luz em razão dos fortes ventos na área de concessão. Os problemas se concentravam nas área de Porto Alegre, Pelotas e no Litoral.

Decoração de loja veio abaixo com o vento no Litoral Norte | Correio do Imbé/Divulgação

No Litoral Norte, as fortes rajadas de vento das últimas horas provocaram a queda de uma estátua de estabelecimento comercial em Capão da Canoa.

Os bombeiros, ademais, atenderam diversas ocorrências de quedas de árvores em diferentes cidades do Sul e do Leste do Rio Grande do Sul.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Em Porto Alegre, a Prefeitura atendeu algumas poucas ocorrências de queda de árvores e galhos, em alguns casos sobre a rede elétrica. O forte vento deixou as águas do Guaíba bastante agitadas durante o domingo.

Anúncios