Anúncios

As imagens de satélite desta segunda-feira são fascinantes. O grande ciclone extratropical junto à costa do Rio Grande do Sul já seria suficiente para chamar a atenção, entretanto tem mais. Se observar atentamente, a faixa de nebulosidade (frente fria) de um imenso ciclone extratropical perto da Antártida, muito ao Sul da África do Sul, está se ligando à nebulosidade do ciclone extratropical que está no Atlântico Sul e que trouxe tanto vento para a Argentina, o Uruguai e o Sul do Brasil.

Nebulosidade do enorme ciclone na costa do Brasil encontra a frente fria de um imenso ciclone muito ao Sul da África | Zoom Earth

A atmosfera se move por ondas e as ondas longas estão associadas a centros de alta pressão. Entre estes centros de alta que determinam a ondulação das correntes de jato estão as áreas de menor pressão atmosférica. Ciclones extratropicais (centros de baixa) intensos acompanham grandes oscilações das correntes de jato e o ingresso, no caso do inverno, de grandes áreas de alta pressão com ar frio.


É por isso que neste momento uma grande massa de ar frio de trajetória continental toma conta da porção central da América do Sul e derruba a temperatura em diversos estados do Brasil com marcas muito baixas, como as registradas hoje no Paraná que chegou a ter 5,4ºC abaixo de zero e congelamento em áreas pouco acostumadas a ter frio tão intenso quanto o de hoje cedo.

Na sequência, uma massa de ar frio muito intensa deve alcançar a África do Sul ainda nesta semana com temperatura muitíssimo abaixo da média, geada em grande número de locais e congelamento em diferentes pontos do país. A temperatura pode cair abaixo de zero na região de Johanesburgo entre quinta e sexta-feira.


Enorme ciclone ao Sul do continente africano está quase na Antártida | University of Wisconsin

Na Cidade do Cabo (34ºS), o ar mais gelado começa a ingressar nesta terça e a temperatura no nível de 850 hPa (1.500 metros de altitude) pode chegar entre quarta e quinta a -3,5ºC, valor que sinaliza uma forte erupção de ar polar e semelhante ao alcançado pela massa de ar frio no Rio Grande do Sul durante o domingo na chegada do ar mais gelado.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

O ciclone que está na altura do litoral do Rio Grande do Sul trouxe vento de até 130 km/h no Sul do Brasil e acima de 110 km/h no Uruguai, provocando queda de árvores e falta de luz para centenas de milhares de pessoas, além de deixar as águas do Atlântico Sul muito agitadas com ressaca do mar nas praias.

Anúncios