Cheia da Lagoa dos Patos castiga a cidade den Tapes | PREFEITURA DE TAPES

O nível muito alto da Lagoa dos Patos causa problemas e emergência em vários municípios da Metade Sul do Rio Grande do Sul. A lagoa recebe toda a vazão de rios como o Taquari-Antas, Jacuí, Sinos, Caí, Paranhana, Gravataí e outros. Com a chuva extrema deste mês e cheias históricas em alguns destes rios, o nível da lagoa acabou por subir muito.

Rio Grande é um dos municípios mais afetados pela elevação da lagoa. Não bastasse a chuva com altos volumes, a cheia da lagoa agravou a situação. Há onze pessoas desalojadas na cidade, nove no bairro Cidade Nova e duas na Ilha da Torotama. Três pontos recebem as pessoas fora de casa pelas inundações.

Ainda em Rio Grande, um mergulhador morreu após desaparecer no canal da barra. Ele estaria trabalhando para corrigir o balizamento de boias quando se afogou. O corpo do homem, que não teve a identidade divulgada, foi resgatado na tarde de domingo


Os problemas pela cheia da lagoa ocorrem também em Pelotas. Com o nível muito alto e que ainda se eleva, o Pontal da Barra, na praia do Laranjal, ficou sem o acesso. As águas da Lagoa dos Patos invadiram e alagaram a estrada. Somente a pé ou de barco era possível chegar até o local. O nível do Canal São Gonçalo também está muito alto e causa inundações.

Cinco famílias tiveram que deixar suas residências na Colônia de Pescadores Z-3 e no Pontal da Barra em Pelotas. Nestes locais, há dificuldade de acesso das equipes da prefeitura por causa do alagamento da estrada que liga a localidade ao Laranjal.

Na mesma região, o município de São José do Norte foi significativamente impactado pelas fortes chuvas do início desta semana. Segundo a Defesa Civil, alguns moradores foram obrigados a deslocar seus móveis para evitar danos, enquanto outros optaram por buscar abrigo na residência de amigos. A inundação pela cheia da lagoa provocou alteração no trajeto utilizado pelos caminhões em direção à balsa.


A Prefeitura de Camaquã decretou situação de emergência pelas inundações da chuva intensa. O município informa que as secretarias seguem trabalhando para recuper e estradas e pontes do interior do município assim como o auxílio às pessoas atingidas pelas enchentes. A campanha de arrecadação de água, comida, produtos de higiene e limpeza continua e os donativos devem ser entregues na sede da Secretaria do Desenvolvimento Social.

O município de Tapes foi outro que decretou situação de emergência após as fortes chuvas. O documento leva em conta os estragos causados nas áreas urbanas e rurais devido aos altos índices de chuva registrados no município, especialmente na semana passada, quando chegou a chover mais de 200 mm. O decreto cita o comprometimento parcial de serviços essenciais como tratamento e fornecimento de água potável, energia elétrica e serviço de saúde,

A situação é muito complicada no município de Amaral Ferrador. Em entrevista à rádio Acústica FM, o prefeito Nataniel Satiro do Val Candia disse que a cidade está praticamente isolada. Há enorme problema de chegar em propriedades rurais, já que estradas e pontes foram danificadas devido às enchentes.

A produção de tabaco também foi fortemente prejudica no interior do município. As aulas estão suspensas desde a última quinta-feira e permanecerão canceladas até sexta-feira  desta semana em Amaral Ferrador. O abastecimento de água está comprometido há mais de três dias no município e moradores recebem água por caminhão pipa.


As más condições das rodovias deixaram Amaral Ferrador praticamente isolada. A ERS-354, que não é asfaltada e que liga Cristal a Amaral Ferrador está intransitável. Amaral Ferrador solicitou ajuda dos prefeitos de Camaquã e Dom Feliciano. Conforme Nataniel, somente Cristal vem prestando assistência ao município. As viagens de ônibus intermunicipais entre Amaral Ferrador a Camaquã e Amaral Ferrador até Encruzilhada do Sul, estão prejudicadas.